Resultados da busca por "Cardiovascular"

Resultados 1 - 10 de 77 Página 1 de 8
Sorted by: Relevance | Sort by: Data Resultados por página: 10 | 20 | 50 | Tudo

Terbutalina: “Ter-B-Uterina”

Você sabia que: A Terbutalina (Bricanyl), além de ser um medicamento utilizado no tratamento de asma brônquica, bronquite crônica, enfisema e outras doenças pulmonares, também é indicado como relaxante do músculo uterino no manuseio do trabalho de parto prematuro não complicado? Este medicamento atua em receptores beta-1 (coração e intestinos) e predominantemente beta-2 (miométrio, vasos sangüíneos e bronquíolos), estimulando-os e determinando o relaxamento da fibra muscular uterina, por diminuição do cálcio livre no interior das células. Portanto, este fármaco age em diversos órgãos, e no sistema cardiovascular são potencialmente perigosos! Além disso, atravessam a placenta, tendo sido descritos diversos efeitos…

Acromegalia: O que é?

A Acromegalia é uma doença crônica provocada pela produção exorbitante do hormônio do crescimento (GH) na vida adulta. Acromegalia e o Gigantismo Se esta produção excedente for diagnosticada na infância, a doença é chamada de gigantismo. No entanto, na fase adulta, as cartilagens de crescimento já estão fechadas, por isso o excesso de produção de GH nesta fase é chamado de Acromegalia. Caso não seja tratada, a doença pode evoluir e trazer complicações, como diabetes, doenças cardiovasculares e hipertensão. Causas A acromegalia é causada pela produção exacerbada do GH e do IGF-1 (Insulin Growth Factor). Na grande maioria dos casos, essa…

Diclofenaco: Uma bomba para o coração!

UM NOVO ESTUDO PUBLICADO PELO BMJ (BRITISH MEDICAL JOURNAL) CONCLUIU QUE OS ANALGÉSICOS PODEM SER POTENCIALMENTE PERIGOSOS PARA O CORAÇÃO Um novo estudo publicado pelo BMJ (British Medical Journal) concluiu que um dos analgésicos mais utilizados no mundo pode ser potencialmente perigoso para o coração. O estudo indicou que o diclofenaco está associado a um risco aumentado de eventos cardiovasculares em comparação com outros analgésicos, como o paracetamol. O diclofenaco pode ser adquirido em farmácias sem receita médica e sem qualquer aviso sobre possíveis conseqüências após o uso. Pesquisadores indicam que a maneira pela qual diclofenaco é adquirido deve ser alterada e…

A Hiperuricemia

 O Termo "Hiperuricemia" ou Ácido Úrico Elevado refere a presença de níveis altos de ácido úrico no sangue. O limite normal para homens é de 400 µmol/L (6,8 mg/dL), e 360 µmol/L (6 mg/dL) para mulheres. Lembrando que o ácido úrico é o produto final do metabolismo de purinas em humanos, pois não produzimos a urato oxidase, enzima que degrada o ácido úrico. Cerca de 70% é excretado pelos rins e 30% pelo intestino, e Níveis elevados desta substância podem levar à Gota (doença) e, em alguns casos, acometimento renal (nefrolitíase por uratos). Geralmente, a hiperuricemia é usualmente observada em…

Conheça as novas Diretrizes de Hipertensão Arterial 2020

SE LIGUEM NESSA NOVA DIRETRIZ DE HIPERTENSÃO ARTERIAL! Durante o 75º. Congresso da Sociedade Brasileira de Cardiologia, ocorrido na semana passada, foi divulgada a nova diretriz de hipertensão arterial. A classificação para pré-hipertensão sofreu alteração, conforme a ilustração acima. Um destaque da nova diretriz é a definição de hipertensão arterial sistêmica. Ela volta a utilizar o termo “pré-hipertensão”, pois em grupos de maior risco cardiovascular esta será novamente a meta de tratamento. Em sua nova diretriz define: PA ≥ 140/90 mmHg = hipertensão PA sistólica 130-139 e/ou diastólica 85-89 = pré-hipertensão PA sistólica 120-129 e/ou diastólica 80-84 = normal PA…

Que Medicamento é Esse?: Aminofilina

A Aminofilina é um fármaco utilizado pela medicina como broncodilatador, que deriva-se do teofilinato de etilenodiamina. Como Funciona? A Aminofilina causa dilatação dos brônquios e dos vasos pulmonares através do relaxamento da musculatura lisa. Dilata também as artérias coronárias e aumenta o débito cardíaco e a diurese. A Aminofilina exerce efeito estimulante sobre o SNC e a musculatura esquelética. Os Efeitos Colaterais Sistema imunológico: reações de hipersensibilidade; Cardiovascular: taquicardia, palpitações, extrassístoles, hipotensão, arritmia atrial e ventricular, vasoconstrição periférica; Nervoso central: dor de cabeça, insônia, confusão, irritabilidade, vertigem, hiperexcitabilidade reflexa, tremor, ansiedade, convulsão; Distúrbios dos olhos: distúrbios visuais; Sistema gastrintestinal: náusea, vômito, dor epigástrica, cólica abdominal, anorexia, diarreia, refluxo…

Dislipidemia

A Dislipidemia é definida como distúrbio que altera os níveis séricos dos lipídeos (gorduras). Na dislipidemia há alteração dos níveis séricos dos lipídeos. As alterações do perfil lipídico podem incluir colesterol total alto, triglicerídeos (TG) alto, colesterol de lipoproteína de alta densidade baixo (HDL-c) e níveis elevados de colesterol de lipoproteína de baixa densidade (LDL-c). Em consequência, a dislipidemia é considerada como um dos principais determinantes da ocorrência de doenças cardiovasculares (DCV) e cerebrovasculares, dentre elas aterosclerose (espessamento e perda da elasticidade das paredes das artérias), infarto agudo do miocárdio, doença isquêmica do coração (diminuição da irrigação sanguínea no coração)…

O Ataque Cardíaco: Infarto Agudo do Miocárdio (IAM)

O termo médico para ataque do coração mais conhecido é o Infarto do Miocárdio. Também pode ser chamado Enfarte do miocárdio, doença isquêmica do coração, obstrução das coronárias, crise cardíaca. No nosso meio, o termo mais usado é o infarto. Mas o que é o Infarto do Miocárdio? O infarto do miocárdio se dá quando o suprimento de sangue a uma parte do músculo cardíaco é reduzido ou cortado totalmente. Isso acontece quando uma artéria coronária está contraída ou obstruída, parcial ou totalmente. Com a supressão total ou parcial da oferta de sangue ao músculo cardíaco, ele sofre uma injúria…

Síndrome do Ovário Policístico (SOP)

A Síndrome do Ovário Policístico (SOP) é um distúrbio endócrino complexo e heterogêneo, com prevalência nas mulheres em idade reprodutiva variando de 8,7 a 17,8%, de acordo com os diferentes critérios diagnósticos existentes. Apesar dos seus diversos fenótipos, esta síndrome é classicamente caracterizada por disfunção ovariana manifestada clinicamente por anovulação crônica, oligomenorreia, hiperandrogenismo, infertilidade e presença de ovários morfologicamente policísticos. A SOP tem sido fortemente associada com desordens metabólicas, tais como a síndrome metabólica (SM) e a resistência à insulina (RI), implicando no aumento do risco de desenvolver diabetes tipo 2, dislipidemia e uma constelação de fatores de risco para…

Escala de Aldrete e Kroulik: Recuperação Pós-Anestésica

A recuperação pós-anestésica compreende importante etapa do cuidado perioperatório. É um processo dinâmico, que inicia ainda na sala de operações e estende-se até a recuperação completa do paciente, a qual depende da técnica e dos fármacos anestésicos utilizados. O tempo de permanência do paciente na sala de recuperação pós-anestésica (SRPA) é fundamental no manejo do fluxo de pacientes cirúrgicos e repercute tanto na capacidade de atendimento do centro cirúrgico quanto no custo global do paciente. Os critérios de alta da SRPA podem ser sistematizados através de protocolos assistenciais, como a escala de Aldrete e Kroulik por critérios empíricos ou pelo anestesiologista…
 
error:
Avaliações Gerais Coberturas para Curativos CCIH Cálculos na Enfermagem Distúrbios Pulmonares