Os Dermátomos

Dermátomo é uma palavra grega que significa literalmente “corte de pele”. Um dermátomo é uma área da pele que é inervada por fibras nervosas que se originam de um único gânglio nervoso dorsal. Cada dermátomo é nomeado de acordo com o nervo espinal que o inerva.

Os processos patológicos, principalmente infeções víricas, que ocorrem em certos nervos espinhais ou nos seus gânglios frequentemente manifestam-se como lesões cutâneas na área do dermátomo respetivo, pelo que estar familiarizado com a localização dos dermátomos específicos ajuda a diagnosticar a condição facilmente.

Fatos importantes sobre os dermátomos
Dermátomos do tórax, pescoço e extremidade superior

C2 – Protuberância occipital

C3 – Fossa supraclavicular

C4 – Articulação acromioclavicular

C5 – Fossa antecubital lateral

C6 – Polegar

C7 – Dedo médio

C8 – Dedo mínimo

T1 – Fossa antecubital medial

T2 – Ápice da axila

Dermátomos da pelve e extremidade inferior

L1 – Parte antero-superior da coxa

L2 – Parte anterior média da coxa

L3 – Côndilo femoral medial

L4 – Maléolo medial

L5 – Dorso da terceira articulação metacarpal

S1 – Calcanhar lateral

S2 – Fossa poplítea

S3 – Tuberosidade isquiática

S5 – Área perianal

Dermátomos da face

V1 Nervo oftálmico – Parte superior da face

V2 Nervo maxilar – Parte média da face

V3 Nervo mandibular – Parte inferior da face

Nota clínica Infeção Herpes Zoster

Entendendo o processo do Dermátomo

A medula espinhal possui trinta e um segmentos, cada um com seu próprio par bilateral anterior e posterior de raízes nervosas, que inervam as estruturas anatômicas com fibras motoras e sensitivas. O significado clínico de um dermátomo é que, quando um caso dermatológico se apresenta limitado a um único dermátomo, um rash cutâneo por exemplo, os sintomas clínicos podem indicar envolvimento patológico da raiz nervosa relacionada.

Pontos de testes dos dermátomos

Foi desenvolvido um sistema de pontos no corpo observando as regiões dos dermátomos, de forma a que aqueles com acesso direto ao mapa dos dermátomos sejam capazes de localizar a dor e diagnosticar corretamente o nervo que pode estar afetado. Aqui segue uma lista de pontos de testes de dermátomos, organizada pela raiz espinhal que chega a cada um deles, juntamente com uma área aproximada de sua cobertura. A lista passa pelos nervos espinhais em uma direção de cranial para caudal.

Parte superior do corpo

  • C2 – Protuberância occipital
  • C3 – Fossa supraclavicular
  • C4 – Articulação acromioclavicular
  • C5 – Fossa antecubital lateral
  • C6 – Polegar
  • C7 – Dedo médio
  • C8 – Dedo mínimo
  • T1 – Fossa antecubital medial
  • T2 – Ápice da axila

Parte inferior do corpo

  • L1 – Parte ântero-superior da coxa
  • L2 – Parte ânterior média da coxa
  • L3 – Côndilo femoral medial
  • L4 – Maléolo medial
  • L5 – Dorso da terceira articulação metacarpal
  • S1 – Calcanhar lateral
  • S2 – Fossa poplítea
  • S3 – Tuberosidade isquiática
  • S5 – Área perianal

Face

Existem ainda três outros pontos de testes de dermátomos que são inervados pelo nervo trigêmeo (NC V), e não pelas raízes espinhais. As três divisões trigeminais são responsáveis pela inervação da face.

  • V1 Nervo oftálmico – Parte superior da face
  • V2 Nervo maxilar – Parte média da face
  • V3 Nervo mandibular – Parte inferior da face