Esponja Hemostática

As Esponjas Hemostáticas estancam o fluxo de sangue e podem ser completamente reabsorvidas pelo organismo durante o processo de cicatrização. Feito de material com colágeno (gelatina) liofilizado de origem porcina, reabsorvível, altamente porosa, com ação hemostática e cicatrizante.

Indicações

  • Procedimentos cirúrgicos odontológicos (como extração dental convencional, remoção de dentes inclusos ou impactados, remoção de cistos e tumores, biópsias etc.)
  • Obtenção de hemostasia local, principalmente quando o controle do sangramento por ligadura ou procedimentos convencionais é ineficaz ou impraticável
  • Mantém o coágulo sanguíneo nas lojas cirúrgicas, protegendo o leito das feridas e acelerando o processo de cicatrização, prevenindo, assim, complicações pós-operatórias.

Algumas Características

  • Esponja hemostática farmacêutica pura: feita 100% de colágeno (gelatina) porcino liofilizado.
  • Absorve 40-50 vezes seu próprio peso em sangue total.
  • Produto multifuncional: controle do sangramento, estabilização do coágulo sanguíneo, preenchimento dos espaços gerados nas cirurgias, aceleração do processo de cicatrização e proteção do leito da ferida cirúrgica.
  • Possibilita ótima visualização do campo cirúrgico.
  • Reabsorvível: é completamente reabsorvido pelo organismo em 15 dias.
  • Biocompatível: material atóxico e não pirogênico, sem riscos de intolerância ou contra indicações.
  • Pode ser aplicada seca ou saturada com solução salina estéril ou com antibióticos.
  • Versátil para uso diário: pode ser facilmente reduzida em tamanho a qualquer formato requerido.
  • Reduz o tempo da intervenção cirúrgica.
  • Prática, segura e confiável.
  • Esterilizada por raios gama.

Como é utilizado?

  • Depois do procedimento cirúrgico (como extração dental convencional, remoção de dentes inclusos ou impactados, remoção de cistos e tumores, biópsias etc.), deve ser cortado no tamanho desejado (espessura, comprimento e largura) e utilizado na menor quantidade necessária para obtenção da hemostasia;
  • Pode ser comprimido e aplicado seco à superfície hemorrágica;
  • Manter a esponja no local com pressão moderada até que seja obtida a hemostasia (10 a 15 segundos). Em geral, a esponja de gelatina estanca a hemorragia na primeira tentativa, caso contrário, deve-se fazer uma aplicação adicional utilizando-se novos pedaços de esponja. Estancada a hemorragia, os pedaços da esponja devem ser deixados no local, caso contrário a hemorragia poderá recomeçar;
  • É suturado a ferida cirúrgica mantendo o a esponja hemostática.

Tela não Aderente com Petrolatum

A Tela Não Aderente com Emulsão de Petrolatum é um curativo primário, estéril, não aderente, constituído por uma malha de acetato de celulose (Rayon) impregnada com uma emulsão de petrolatum, destinado ao tratamento de feridas.

BENEFÍCIO:

  • Mantém o meio úmido;
  • Não adere ao leito da ferida;
  • Promove o equilíbrio da umidade da lesão, pois permite que o exsudato seja absorvido pelo curativo secundário.

INDICAÇÃO DE USO:

  • Lesões superficiais de queimaduras, úlceras, feridas superficiais limpas, abrasões, lacerações, áreas doadoras de enxerto.

PRECAUÇÃO/CONTRAINDICAÇÃO:

  • Feridas infectadas.
  • Feridas com intenso exsudato.

FREQUÊNCIA DE TROCA:

  • A frequência das trocas deverá ser estabelecida de acordo com a avaliação do profissional que acompanha o cuidado.
  • A saturação do curativo secundário e a possível aderência da cobertura no leito da ferida devem ser levados em consideração.
  • Pode permanecer até 7 dias em feridas limpas.

CONSIDERAÇÕES:

  • Requer curativo secundário.

Polytube

O Curativo Polytube é uma membrana polimérica recoberta por um filme semipermeável. É uma matriz de poliuretano de alta densidade composta por 3 copolímeros: agente de limpeza (surfactante F68)+ agente umectante (glicerina) + goma super absorvente (prata inorgânica).

BENEFÍCIO:

  • Redução da manipulação recorrente da ferida ou estoma;
  • Pode absorver até 20x o seu peso.
  • Pode ser recortado;
  • Acelera o processo de cicatrização;
  • Aumenta o conforto do paciente.

INDICAÇÃO DE USO:

  • Úlceras (diabéticas, venosas ou por pressão);
  • Desordens dermatológicas;
  • Queimaduras de 1º e 2º grau; Aplicação em estomas (traqueostomia, gastrostomia) e drenos;
  • Feridas exsudativas;
  • Feridas cavitárias;
  • Lesões agudas;
  • Deiscência cirúrgicas;
  • Locais de doação e enxerto.

PRECAUÇÃO/CONTRAINDICAÇÃO:

  • Não há

FREQUÊNCIA DE TROCA:

  • Troca quando ocorrer 80%da saturação do produto.
  • Tempo máximo de permanência é de 7 dias.

CONSIDERAÇÕES:

  • Funções: limpeza, absorção, hidratação e preenchimento de cavidade.

Sulfadiazina de Prata

A Sulfadiazina de Prata é uma substância com ação antimicrobiana capaz de eliminar diferentes tipos de bactérias e alguns tipos de fungos.

Indicações

  • Feridas com grande potencial de infecção e risco de evolução para infecção generalizada;
  • Queimaduras;
  • Úlceras de perna, escaras de decúbito;
  • Feridas cirúrgicas.

Benefício

  • Valido por 24 meses;
  • Fácil aplicação.

Precauções e Contraindicações

  • Uso por gestantes no final da gestação, em crianças prematuras e recém-natos nos dois primeiros meses de vida;
  • Pacientes alérgicos às sulfas e aos demais componentes da formulação.

Frequência de Troca

  • Feridas secas ou pouco exsudativas: troca em até 24 horas;
  • Feridas de muito exsudato: troca até 12h.

Considerações

  • A longo prazo, o uso recorrente pode levar a impregnação por prata – Hipersensibilidade local ou sistêmica.

Permanganato de Potássio: Como calcular?

O permanganato de potássio possui propriedades antibacterianas, antifúngicas e cicatrizantes, sendo por isso muito usado em infecções e problemas de pele como eczema, aftas, dermatite, acne, candidiase vaginal, vulvovaginites, catapora, brotoeja, feridas e coceira causada por alergias.

Para se usufruir dos benefícios do permanganato de potássio é importante fazer a diluição correta, indicada pelo médico, e respeitar o número de aplicações, assim como o tempo de tratamento.

Como usar

Para usufruir dos benefícios do permanganato de potássio, ele deve ser usado corretamente. Assim, antes de o utilizar, deve-se diluir 1 comprimido de 100 mg em cerca de 1 a 4 litros de água natural ou morna, dependendo do problema que se pretende tratar, que vai conferir à água uma coloração violeta.

Caso se trate de uma primeira aplicação, deve-se testar antes numa pequena região da pele e verificar se ocorre alguma reação, que é sinal de que a pessoa é alérgica a esta substância, e nestes casos, a solução não deve ser usada.

Depois disto, a solução pode ser usada de várias formas:

1. Banho de permanganato de potássio

Para utilizar o permanganato de potássio, pode-se fazer um banho, permanecendo dentro da solução por cerca de 10 minutos, todos os dias, até que as feridas desapareçam completamente. Deve-se evitar ao máximo o contato com o rosto.

2. Banho de assento de permanganato de potássio

Para fazer um bom banho de assento, deve-se permanecer sentado dentro de uma bacia com a solução, durante alguns minutos. Também se pode utilizar o bidê ou uma banheira de imersão.

3. Compressa de permanganato de potássio

Uma boa forma de usar a solução de permanganato de potássio, principalmente em idosos e bebês, por ser mais difícil fazer o banho, é mergulhar uma compressa nesta solução e de seguida passar no corpo.

Cuidados a ter e possíveis riscos

O permanganato de potássio é de uso exclusivamente externo. Não deve ser ingerido nem usado perto da região ocular, devido à sua elevada toxicidade.

Além disso, também nunca deve ser usado sem ser diluído e o comprimido não deve entrar em contato com as mãos devido à sua ação corrosiva, podendo causar irritação, vermelhidão, dor, queimaduras e manchas.

Cálculo de Permanganato

Apresentação do medicamento

Na bula do medicamento, você irá encontrar descrito a sua concentração numa forma peculiar de escrita, como por exemplo, 1:20.000.

O que isto significa 1:20.000?

Significa dizer que 1 grama está para 20.000 ml, ou seja, 1 grama está para 20 litros (20.000 ml = 20 litros, pois 1 litro é igual a 1000 ml).

Veja:

  • 1:20.000 – Significa 1 grama em 20.000 ml;
  • 1:40.000 – Significa 1 grama em 40.000 ml;
  • 1:50.000 – Significa 1 grama em 50.000 ml.

Como as questões vão cobrar?

Geralmente as questões de cálculo de permanganato de potássio dão a concentração que deve ter a solução, por exemplo 1:50.000, e o medicamento disponível, geralmente 100 gramas. E em cima disso, é pedido para realizar o cálculo da quantidade em gramas, ou em fração de comprimido que deve ser diluído na quantidade prescrita.

Vamos resolver uma questão!

Questão 1

Foi prescrito 1 litro de solução de permanganato de potássio a uma concentração de 1:20.000, utilizando comprimidos de 100 mg. Para obter a solução prescrita, o profissional de enfermagem dissolver em 1 litro a quantidade de:

a) 25 mg (1/4 de comprimido);

b) 50 mg (1/2 de comprimido);

c) 100 mg (1 comprimido);

d) 150 mg (1 1/2 comprimidos);

e) 200 mg (2 comprimidos).

Antes de partirmos para a resolução, é muito importante retirar os dados do enunciado. Isto evita muitos erros.

Assim:

  • Prescrição: 1 litro de solução de permanganato de potássio numa concentração de 1:20.000;
  • Comprimidos disponíveis: 100 mg
  • Pergunta-se: Quantas mg do comprimido deve ser dissolvido em 1 litro para ter a concentração de 1:20.000?

Quando a concentração está numa proporção de 1:20.000, significa dizer que a concentração deve ser 1 grama para cada 20.000 ml.

Resolução

Para resolver a questão, basta montar regra de três simples considerando o seguinte raciocínio:

Se a concentração é de 1 grama para cada 20.000 ml, quanto será a concentração de 1 litro?

Não esqueça de realizar a conversão, pois o exercício quer a resposta em mg e em ml.

1 grama = 1000 mg

1 litro = 1000 ml

Reformulando a pergunta: Se a concentração é de 1000 mg para cada 20.000 ml, quanto será X mg para 1000 ml?

1000 mg ————————–20.000 ml

X mg ——————————-1000 ml

(multiplique cruzado)

20.000 . X = 1000 . 1000

20.000X = 1.000.000

X = 1.000.000 / 20.000

X = 50 mg

Basta utilizar 1/2 comprimido, ou seja 50 mg.

Resposta letra B.

Foi prescrito 1.000 ml de solução de permanganato de potássio na concentração de 1:40.000 ml com comprimidos de 100 mg. Para obter a solução prescrita, o profissional de enfermagem utilizar quantos comprimidos:

a) 1 comprimido;

b) 2 comprimidos;

c) 1/4 comprimido;

d) 1/2 comprimido;

Dados da questão:

  • Prescrição: 1 litro = 1000 ml de solução
  • Concentração prevista: 1:40.000 = 1 grama:40.000ml = 1000 mg:40.0000

Resolução (regra de três)

Se em 40.000 ml tenho 1000 mg, quantas gramas terei em 1000 ml?

40.000 ml——————–1000 mg

1000 ml————————X

(Multiplique cruzado)

40.000 . X =1000 . 1000

40.000X = 1.000.000

X = 1.000.000 / 40.000

X = 25 mg.

Se 100 mg é um comprimido inteiro, 25 mg é 1/4 de comprimido.

Resposta Letra C

Referência:

  1. MedicinaNET

PHMB (Polyhexametileno Biguanida)

PHMB (polyhexametileno biguanida), também conhecido por Polihexanida, composto antisséptico e antimicrobiano, é um polímero sintético estruturalmente similar aos peptídeos antibacterianos, que lhe permite inserir-se nas membranas celulares das bactérias e matá-las.

BENEFÍCIO:

  • Antimicrobiano;
  • Não é tóxico aos tecidos vivos;
  • Fácil e simples de usar
  • Aplicação prática;
  • Princípio ativo com baixo potencial alergênico;
  • Pode ser aquecido até a temperatura corporal;
  • Permanece aberto por até 08 semanas;
  • Não há risco de novas contaminações das feridas;
  • Absorve odores ferida;
  • Compatível com curativos comumente usados;

INDICAÇÃO DE USO:

  • Indicado para limpeza, descontaminação e umidificação do leito das feridas agudas ou crônicas;
  • Feridas colonizadas, criticamente colonizadas e infectadas;
  • Queimaduras de grau I e II;
  • Remove biofilmes, prepara o leito da ferida para receber curativo;
  • Feridas: úlceras por pressão de estágio I a IV, úlceras arteriais, venosas e mistas, úlceras pós cirúrgicas, áreas doadoras de enxerto, úlceras infectadas ou não.

PRECAUÇÃO/CONTRAINDICAÇÃO:

  • Aplicação em cartilagem hialina;
  • Queimaduras grau III e IV;
  • Instilação em cavidades que não tenha visualização da profundidade.

FREQUÊNCIA DE TROCA:

Mantém sua atividade em ambiente úmido por até 72 horas.

CONSIDERAÇÕES:

  • Solução de irrigação de feridas – deve ficar no leito da ferida em pausa de 10 a 15 min.

Gaze Rayon

A Gaze Rayon é um curativo estéril, não aderente, constituído por malha de acetato e celulose (Rayon), impregnada com ácidos graxos essenciais (AGE), que estimula o processo de cicatrização.

O AGE hidrata a ferida e favorecem a atividade celular no local, estimulando o processo de cicatrização da pele.

Indicação de Uso

Para feridas em fase de granulação e epitelização, tais como:

– Feridas não infectadas, secas ou exsudativas;
– Exposição de ossos e tendões;
– Feridas cirúrgicas;
– Queimaduras (1º e 2º grau);
– Áreas doadoras ou receptoras de enxerto;
– Úlceras.

Características

Enriquecido com AGEs

Hidratam a ferida, mantendo um ambiente úmido ideal para a cicatrização favorecendo desbridamento autolítico ou mecânico de tecidos inviáveis. Os AGEs também favorecem a atividade celular no local da ferida, reforçando o estímulo ao processo de cicatrização da pele.

Remoção

É Fácil de ser removido.

Não aderente

Diferente das fazes de algodão, o curativo não entra em contato com a ferida.

Controle de Dor

Minimiza dor e traumas das trocas.

Cicatrização

Reduz a perda do tecido récem-formado pois mantém a umidade no leito da lesão,  contribuindo para o processo de cicatrização.

Estéril

Esterilizado pelo processo de irradiação (radiação gama de Cobalto 60).

Curativo Secundário

Deve ser usado comum curativo secundário estéril para absorção do exsudato da ferida e para proteger o curativo contra exposição direta da luz solar.

Redução de Fluídos

Tecido Rayon poroso e permeável que permite a ferida respirar e auxilia o fluxo do exsudato pelo curativo secundário, reduzindo o acúmulo de fluido no local da lesão.

Não alérgico

Tecido Rayon é isento de substâncias alergênicas e possui bordas bem acabadas.

Recortável

De acordo com o tamanho da ferida sem provocar desprendimento de filamentos, com manutenção do meio úmido.

As Contraindicações

Não deve ser utilizado em pacientes com conhecida sensibilidade ao produto ou a algum de seus componentes, e não é indicado para pacientes que estejam recebendo tratamento por câmara hiperbárica.

Cuidados

  • O tratamento de feridas com o produto deve ser acompanhado por um profissional da saúde;
  • É um produto de uso único, não devendo ser reutilizado e devendo ser totalmente descartado após a troca de curativo;
  • Deve se agir conforme os procedimentos de manuseio de lixo hospitalar determinados pelo estabelecimento de saúde;
  • Se o produto for reutilizado, o paciente possuirá grande risco de receber um tratamento não eficiente ou apresentar uma infecção no local da ferida ou generalizada, retardando o processo de cicatrização e prejudicando seriamente seu estado de saúde;
  • Em casos de irritação (reação alérgica) ou qualquer outro efeito adverso durante o uso do produto, deve-se suspender a utilização imediatamente e procurar orientação médica;
  • Não utilize o produto se a embalagem estiver violada e/ou danificada;
  • Não se deve expor o curativo ou a lesão que esteja coberta somente com este produto à luz solar.

Papaína a 10%

A Papaína é uma enzima proteolítica proveniente do mamão, Carica papaya Linn., e é muito empregada na indústria alimentícia, cosmética e farmacêutica.

No Brasil, Lina Monetta foi a primeira autora a reportar cientificamente os resultados da utilização da papaína in natura, bem como diluída no tratamento de feridas.

No entanto, o uso da papaína já é consagrado na literatura internacional desde a década de 50.

BENEFÍCIO:

  • Promove desbridamento químico / enzimático;
  • Bactericida e bacteriostático.

INDICAÇÃO DE USO:

  • Lesões com presença de granulação (concentração 2%);
  • Necrose de liquefação / esfacelo (4-6%);
  • Necrose de coagulação/escara (8-10%);
  • Feridas secas ou exsudativas;
  • Planas e/ou cavitárias;
  • Feridas infectadas.

PRECAUÇÃO/CONTRAINDICAÇÃO:

  • Sensibilidade aos componentes do produto;
  • Pacientes alérgicos à látex não devem utilizar a papaína.

FREQUÊNCIA DE TROCA:

  • A cada 24 horas, antes se o curativo secundário estiver saturado.

CONSIDERAÇÕES:

Os recipientes utilizados para diluição e armazenamento não devem ser metálicos, pois provocam oxidação e inativação da enzima.

Blood Stop

O Curativo adesivo antisséptico “Blood Stop” são utilizados em procedimentos pós punção, seja o procedimento intravenoso ou intramuscular, voltado para hospitais e laboratórios que prezam pela qualidade no momento da finalização dos exames laboratoriais.

Fácil e rápido de aplicar, ele substitui o algodão e o esparadrapo, além de resolver o problema do improviso na finalização de exames e aplicações de injeção, pois auxilia no controle de estoque e acaba com o desperdício de material.

Além disso, é o único com múltiplas camadas que permitem alta absorção do sangue. Apresenta formato circular e é composta por múltiplas camadas em não tecido de algodão e poliéster, com adesivo hipoalérgico que garante alta fixação e proteção segura do local aplicado.

Existem versões para adultos e pediatria (com ilustrações divertidas nas bandagens).

 

Hidropolímero

Hidropolímero é um curativo surgido na década de 1990, que faz parte, junto com as coberturas de hidrogel e alginato de cálcio dos modernos recursos disponíveis aos enfermeiros na prevenção e tratamento de feridas.

BENEFÍCIO:

  • Mantém o meio úmido;
  • Favorece o debridamento autolítico;
  • Absorve grande quantidade de exsudato;
  • Reduz o trauma na troca do curativo.

INDICAÇÃO DE USO:

  • Lâmina: feridas planas;
  • Espumas de preenchimento: Feridas cavitárias.

PRECAUÇÃO/CONTRAINDICAÇÃO:

  • Feridas secas;
  • Queimaduras de terceiro grau;
  • Feridas com necrose de coagulação (escara).

FREQUÊNCIA DE TROCA:

  • A frequência das trocas deverá ser estabelecida de acordo com a avaliação do profissional que acompanha o cuidado.

CONSIDERAÇÕES:

  • Podem ter formulações associadas com antimicrobianos ou anti-inflamatórios;
  • Podem ser ou não recortáveis.