Ruídos Hidroaéreos: O que são?

Os Ruídos Intestinais ou Hidroaéreos (RHA) são sons normais dos intestinos que se apresentam como borbulhamentos e cliques, ocorrendo pela presença de ar que se movimenta nas alças intestinais por intermédio dos movimentos peristálticos.

A presença de ondas peristálticas visíveis em intestino delgado, denominada de agitação peristáltica de Kussmaul, são caracterizadas por movimentos rotatórios, acompanhados de fortes ruídos intestinais, denominados de borborigmos. Pode ocorrer um segundo tipo de ondas de peristalse, denominada de peristalse em degrau, as alças se contraem como em degraus de uma escada.

Em condições patológicas os ruídos hidroaéreos podem estar com intensidade aumentada (exemplo: diarreias, hemorragias digestivas, suboclusão intestinal ou obstrução intestinal) ou diminuída ou ausente (exemplo: íleo paralítico).

Os ruídos hidroaéreos podem assumir o tom metálico, nos casos de obstrução de intestino delgado.

Geralmente é descrito a presença de ruídos hidroaéreos através de intensidade: ++++/IV.

Referências:

  1.  RAMOS, J; CORRÊA NETTO, A. Manual de Propedêutica do Abdômem. Arquivos médicos da Santa Casa de São Paulo, 1945;
  2. MENEGHELLI, U. G.; MARTINELLI, A.L.C.:Princípio de semiotécnica e de interpretação do exame clínico do abdômem. Medicina, Ribeirão Preto, V.37, jul/2004;
  3. Semiologia Médica – Celmo Celeno Porto – 7ª Edição. 2013. Editora Guanabara Koogan.

SAIBA AGORA! O que cai nas provas para Técnico em Enfermagem?

Muito provável que você esteja lendo esse artigo por que atualmente deve estar em busca do sua tão aclamada vaga de emprego na enfermagem, certo?

Mas, a dúvida que mata a todos é, que assuntos que são realmente cobrados em uma prova para Técnico em Enfermagem?

Pode ser que, talvez, alguns destes temas tenha mais relevância em alguma prova que irá fazer, mas o importante é buscar estudar de tudo um pouco, pois mesmo que não caia, será cobrado em seu dia-a-dia como profissional.

Mas vamos lá!, Leia abaixo:

Temas e Assuntos que mais cobram em provas para Técnico em Enfermagem

Questões com Tema: Fundamentos de Enfermagem

  • Princípios de microbiologia;
  • Controle de infecções e medidas de isolamento (Precauções-Padrão);
  • Saúde da Criança (crescimento e desenvolvimento);
  • Comunicação (Interação Aluno/Profissional-paciente);
  • Documentação (Prontuários, relatórios, evoluções, prescrição médica);
  • Processo de enfermagem (coleta de dados, SAE, avaliação, diagnóstico, histórico de enfermagem);
  • Humanização e orientação ao cliente enfermo;
  • Aspectos culturais (preparo do profissional para o cuidado de pacientes de populações diversas);
  • Terapias complementares/alternativas (musicoterapia, etc);
  • Conceitos de bem-estar, estresse/ansiedade;
  • Cuidados no fim da vida (medidas de conforto, paliativo, pós morte);
  • Repouso e sono;
  • Segurança do Paciente;
  • Higiene do Paciente;
  • Procedimentos gerais de Enfermagem;
  • A Biossegurança e a NR 32.
  • A utilização de termos e terminologias em prontuários de enfermagem.

Questões com Tema: Humanização na Assistência

  • Definição sobre a Humanização na Assistência de Enfermagem;
  • Benefícios ao paciente/equipe de trabalho;
  • Como você aplica a Humanização em sua assistência;
  • Escreva com suas palavras as principais habilidades que são importantes na abordagem humanizada;

Questões com Tema: Atendimento às necessidades do paciente relativo a segurança, proteção, higiene e conforto

  • Assuntos abordados em geral sobre a segurança e proteção do paciente (riscos, administração de medicamentos);
  • Assuntos abordados em geral sobre a higiene e conforto, como banho no leito, higiene íntima e oral, massagem de conforto, mudança de decúbito, orientação sobre a auto-higienização;

Questões com Tema: Cálculo, preparo e administração de medicamento

  • Cálculos de medicamentos como: Macro e Micro gotas, regra de 3 na enfermagem, cálculo de penicilina, comprimidos, insulina, rediluição de medicamentos, estudos de caso onde é aplicado os cálculos para dosagem e administração de medicamentos;
  • Os certos no preparo e administração de medicamentos;

Questões com Tema: Assistência de enfermagem a pacientes portadores de feridas

  • Assuntos abordados em geral sobre tipos de feridas, grau de lesões de pressão, definição de lesão por pressão;
  • Conhecimento sobre coberturas para curativos;
  • Conhecimento sobre a utilização de meios e métodos para prevenção de lesões por pressão;
  • Conhecimento sobre coberturas para curativos e sua aplicação.

Questões com Tema: Procedimentos de enfermagem em geral

  • Montagem de bandejas em geral;
  • Auxílio em procedimentos de inserções de sondas e cateteres;
  • Preparo da mesa para realização de procedimentos;
  • Técnica correta de lavagem das mãos;
  • Utilização de Bundles;
  • Conhecimento de materiais que são utilizados para cada procedimento.

Questões com Tema: A unidade do paciente

  • Conhecimento de plantas físicas hospitalares;
  • Localização de carrinhos de emergência, posto de enfermagem;
  • O que deve conter em um leito hospitalar;
  • Montagem de leitos (conhecimento dos tipos).

Questões com Tema: Transporte de pacientes

  • Conhecimento de Transporte Pré e Intra-Hospitalar;
  • Condições necessárias e seguras ao transporte do paciente;
  • Responsabilidade de quem transporta o pacientes;
  • Equipe que compõem o transporte de um paciente;
  • Que dispositivos devemos atentar ao transporte;
  • Cuidados de enfermagem durante o transporte.

Questões com Tema: SUS – Programa, princípios e legislação

  • Constituição Federal – Arts 196 a 200;
  • Lei Orgânica 8080 de 1990;
  • Decreto 7.508 de 2011;
  • Política Nacional de Atenção Básica (PNAB);
  • Política Nacional de Humanização (PNH).

Questões com Tema: Enfermagem Médico-Cirúrgica – Assistência ao paciente nas situações de urgência e emergência

  • Pneumonia no Pronto-Socorro;
  • Atendimento inicial da parada cardiorrespiratória e cuidados pós-parada;
  • Choque de diferentes etiologias e descompensação de insuficiência cardíaca;
  • Paciente com sepse e choque séptico;
  • Insuficiência Renal Aguda;
  • Emergências hiperglicêmicas;
  • Síndrome coronariana aguda;
  • Distúrbios hidroeletrolíticos;
  • Abordagem inicial no paciente politraumatizado;
  • Complicações agudas no paciente hepatopata;
  • Complicações agudas no paciente com HIV;
  • Asma e DPOC;
  • Via aérea difícil, intubação de rápida sequência e insuficiência respiratória;
  • Acidente Vascular Cerebral;
  • Abordagem inicial das intoxicações agudas.

Questões com Tema: Assistência de enfermagem a pacientes com afecções gastrointestinais, respiratórias, neoplásicas, endócrinas, cardiovasculares, genito-urinárias, dermatológicas, reumáticas, neurológicas.

  • Cuidados de Enfermagem com pacientes em Distúrbio Gastrointestinal;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes em Distúrbio Respiratório;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes Oncológicos;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes com Doenças Endócrinas;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes Cardiopatas/Cardíacos;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes com Distúrbios Genito-urinários;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes com Problemas dermatológicos;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes com Doenças Reumáticas;
  • Cuidados de Enfermagem com pacientes com Doenças/Complicações Neurológicas.

Questões com Tema: Assistência de enfermagem no pré, trans e pós-operatório imediato e tardio

  • Cuidados gerais na Assistência de Enfermagem durante o pré, trans e pós operatório sendo imediato ou tardio.

Questões com Tema: Atuação na Central de Material e Esterilização

  • Definição da CME;
  • Atuação da Enfermagem na CME;
  • Tipos de Artigos que são esterilizados neste setor;
  • Localização da CME;
  • Conhecimento de rotinas em geral.

Questões com Tema: Enfermagem Materno Infantil

  • Definição;
  • Objetivo;
  • Conhecimentos sobre a Saúde da Mulher;
  • Conhecimentos gerais sobre a Consulta Clínico-Ginecológica;
  • Conhecimentos gerais sobre Afecções Ginecológicas;
  • Conhecimentos gerais sobre o Processo de Gestação;
  • Conhecimentos gerais sobre Diagnósticos de Gravidez;
  • Conhecimentos gerais sobre Assistência ao Pré-Natal;
  • Conhecimentos gerais sobre Assistência em Situações Obstétricas de Risco (Abortamento, Placenta Prévia, HELLP, Pré-Eclampsia e Eclampsia, etc);
  • Conhecimentos gerais sobre Parto e Nascimento Humanizado;
  • Como realizar a admissão de uma parturiente;
  • Assistência de Enfermagem durante o trabalho de parto;
  • Assistência de Enfermagem durante o parto cesárea;
  • O Puerpério e suas complicações.

Questões com Tema: Questões de Complicações mais comuns na gravidez

  • Condições anteriores à gestação: hipertensão, diabetes, doenças autoimunes, infecções crônicas (como HIV), problemas cardíacos, pulmonares ou renais e idade materna (mães que dão à luz com menos de 17 e mais de 35 anos têm maior risco de complicação. Depois dos 40 anos, o risco de aborto espontâneo e defeitos;
  • Condições da própria gestação: gestação de múltiplos, placenta prévia (condição em que placenta cobre o colo do útero), problemas fetais e trabalho de parto prematuro (que se inicia antes de 37 semanas de gravidez).

E na prova prática, o que podem te cobrar?

Em conjunto com as provas teóricas, o empregador pode solicitar que sua equipe de profissionais em meio ao processo seletivo, faça provas práticas para transmitir o conhecimento adquirido durante os campos de estágios.

O que pode (provavelmente) lhe cobrar durante uma prova prática:

  • Simulação de RCP (desde condições que o paciente se encontra, forma de iniciar a massagem e a condução do procedimento, quanto chamar equipe multidisciplinar);
  • Técnica correta de assepsia de frascos e de aspiração de medicamentos;
  • Administração de medicamentos (desde interpretação de prescrição médica até o momento do preparo e a administração);
  • Técnica correta de calçar luvas estéreis;
  • Técnica correta de lavagem das mãos;
  • Técnica correta de aparamentação;
  • Manipulação de materiais estéreis;
  • Manipulação de instrumentais cirúrgicos;
  • Avaliação céfalo-podálico de dispositivos no paciente;
  • Montagem de um relatório de enfermagem;
  • Humanização na prática;
  • Forma de conduzir e orientar o paciente quanto:
    • A apresentação profissional;
    • Verificação do nome do paciente/data de nascimento com a pulseira que se encontra ao paciente;
    • Apresentação do medicamento a ser administrado (para que serve);
    • Avaliação da permeabilidade do dispositivo;
    • Avaliar resposta após administração do medicamento;
  • Banho no leito:
    • Preparo de materiais;
    • Tipos de banhos;
    • Cuidados com o corpo do paciente;
    • Montagem de leito;
  • Instalação de oxigenoterapia:
    • Conhecimento da utilização da régua de gases;
    • Conhecimento dos dispositivos utilizados no suporte de oxigenoterapia;
    • Conhecimento de instalação e manutenção de inaloterapia;
    • Higienização dos dispositivos;
  • Medicamentos e Alta Vigilância (MAV):
    • Cuidado quanto a interpretação da prescrição médica;
    • Cuidado quanto a leitura do rótulo ou frasco do medicamento;
    • Dupla checagem com Enfermeiro quanto o preparo e a administração do medicamento;
    • Dupla checagem quanto ao relatório de enfermagem referente ao medicamento que foi administrado, com carimbo de ambos os profissionais;
  • Nutrição Enteral:
    • Cuidados quanto ao preparo da dieta e a confirmação com a prescrição de SNEP/EMTN;
    • Cuidados quanto a montagem do frasco ao equipo, obedecendo as normas de aparamentação correta;
    • Cuidados quanto a identificação da dieta e sua dupla checagem com o enfermeiro;
    • Cuidados quanto a instalação da dieta ao paciente: Avaliar locação/refluxo de sonda, instalação de dieta em bomba de infusão e a programação da dieta quanto a prescrição de SNEP/EMTN;

Talvez alguns destes item acima pode estar em sua prova. Não serão todos, mas é bom sempre estudar tudo, pois o que importa é o conhecimento amplo e geral de todos os assuntos abordados!

Quer testar seu conhecimento?

Temos aqui em nosso blog simulados para provas admissionais institucionais e para concursos na área da saúde. Que tal testar seu conhecimento agora mesmo?

Te desejamos sorte em sua jornada, e sucesso em seu novo emprego!

Assista ao vídeo para mais dicas!

O Teste do “Coraçãozinho”

O “Teste do Coraçãozinho” pode ser entendido como uma oximetria de pulso em recém-nascidos. Constitui-se de um exame simples, indolor e rápido que deve fazer parte da triagem de rotina de todos os recém-nascidos, pois é importante para o diagnóstico precoce de cardiopatia congênita crítica.

Consiste em um exame não invasivo realizado com um aparelho chamado oxímetro de pulso, encostando-se o sensor, que mede a oxigenação do sangue, na mão direita e em um dos pés do recém-nascido.

O resultado é normal se o aparelho registrar nível de oxigenação maior ou igual a 95% nas duas extremidades e diferença menor que 3% entre as medidas do membro superior direito e do membro inferior.

Se o resultado for menor que 95% ou houver uma diferença maior ou igual a 3% entre as extremidades, o teste é repetido após 1 hora.

Persistindo o resultado, a criança deverá ser submetida a uma ecocardiografia dentro das 24 horas seguintes e passará a receber acompanhamento cardiológico.

O teste deve ser realizado nos primeiros dias de vida do recém-nascido, preferencialmente na mesma ocasião dos demais testes de triagem neonatal (pezinho, olhinho e orelhinha).

Pareceres COREN

PARECER COREN – BA N⁰ 010/2014; Parecer Técnico 07/2017 Coren MS; PARECER COREN/SC Nº 002/CT/2016

Os profissionais de enfermagem (Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem) possuem competência ética e legal para realização do Teste do Coraçãozinho. Para a execução do procedimento ressaltamos a necessidade de capacitação técnica dos profissionais e da adoção de protocolos de boas práticas, devidamente reconhecidos pela equipe e assinados pelo responsável técnico do serviço.

Referências

  1. Pareceres Regionais dos CORENS;
  2. https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/cardiologia-e-neonatologia-da-sbp-chamam-atencao-para-o-teste-do-coracaozinho/

Focos de Ausculta Cardíacos

Ausculta Cardíaca

Os Focos de Ausculta Cardíacos na Enfermagem fazem parte do Exame Físico feitos pelo Enfermeiro, nas quais eles utilizam técnicas de inspeção, palpação, percussão e ausculta, verificando a localização do coração e na inspeção eles conseguem identificar através dos focos as bulhas, o ritmo e frequência; juntamente as possíveis alterações que ocasionam as patologias.

Para entender o funcionamento das valvas e os focos, é necessário entender da fisiologia e compreender que o ciclo cardíaco é de fundamental importância para saber as repercussões hemodinâmicas e clínicas de um paciente.

Veja mais em:

Glicemia Pós-Prandial: Aquele sono após uma refeição!

Glicemia

Quem nunca sentiu aquele sono tão gostoso após ter feito uma grande refeição, principalmente após o almoço?

Isso tem nome! E é conhecido como Glicemia Pós-Prandial ou popularmente “Sono Pós Prandial”.

Como acontece?

Primeiro, devemos entender que o sangue conduz o oxigênio para o organismo e que o cérebro precisa de muito oxigênio para funcionar. Contudo, após comermos, o sangue aumenta a quantidade do nutriente enviada ao aparelho digestivo e, por consequência, diminui a oferta para o cérebro, o que força a diminuição da sua atividade.

Em palavras mais técnicas, quando começa a digestão, o estômago captura água e gás carbônico no organismo para formar o ácido carbônico.

Esse ácido reage com outro, o ácido clorídrico, e forma o suco gástrico, que digere os alimentos. Da reação entre os ácidos, sobra uma substância chamada bicarbonato, que é absorvida pelo sangue e o torna menos ácido.

Quando o sangue alcalinizado irriga o sistema nervoso central, provoca a diminuição da atividade das regiões responsáveis pela vigília e pela contração muscular, causando aquele sono descontrolável após uma refeição bem feita.

Além disso, durante a digestão uma quantidade maior de sangue se dirige para o estômago e os intestinos para ajudar no processo. O sistema nervoso central passa, então, a ser menos irrigado e, portanto, diminui sua atividade porque dispõe de menos oxigênio.

A própria produção do suco gástrico que faz parte do processo de digestão dos alimentos acaba gerando uma grande quantidade de bicarbonato de sódio, substância que causa no sangue o que se chama de alcalose metabólica, conhecida como maré alcalina pós-prandial (pós-refeições).

Esse processo também faz com que o cérebro diminua a atividade de alerta. Outro fator é que durante as refeições, principalmente as ricas em açúcares de fácil absorção (como os doces e as farinhas), a concentração de glicose sobe no sangue, o que leva a diminuir ainda mais o estado de alerta do cérebro.

Isso é normal?

A maioria dos animais sente sono após as refeições, principalmente aquelas mais pesadas, ou seja, essa reação é normal do organismo. Ele afirma ainda que um cochilo após as refeições é sempre bem vindo, pois 15 ou 20 minutos de sono podem ajudar a pessoa a recuperar as energias.

Contudo, que há um certo minuto de que o cochilo depois do almoço ajuda a memória. A memória é fixada nas fazes profundas do sono que só ocorrem após pelo menos uma hora dormindo. Na verdade, isso pode não ocorrer mesmo em um sono de longa duração.

Os Níveis Normais Vs. Níveis Pós Prandial

As concentrações de glicemia em jejum (8 a 10h) variam geralmente entre 70 e 110 mg/dl (5 a 6mmol/L). Após um refeição rica em carboidratos (ex.: pão, arroz, batata, milho, mandioca…) a glicemia sobe até chegar a um máximo, em uma pessoa saudável, de 140mg/dl. Depois segue diminuindo por 2 a 3h até voltar aos valores de prévios. A absorção de carboidratos continua por mais de 5 a 6h.

Como são interpretados os Sons de KorotKoff?

Korotkoff

A cada segundo, ao redor do mundo, alguém mede a pressão arterial (PA) sistólica e diastólica através do método auscultatório de Korotkoff

Quem era o Korotkoff?

Nikolai Sergeevich Korotkoff (1874-1920), um jovem cirurgião do exército russo, trabalhando em condições precárias sobas dificuldades de diversas guerras, fez sua incrível façanha usando o bracelete de Riva-Rocci e um estetoscópio pediátrico.

Korotkoff não era um pesquisador da PA e sua principal preocupação, como cirurgião de guerra, era saber se o suprimento de sangue colateral não havia diminuído, de modo a resolver se uma artéria ferida podia ser firmemente ligada quando uma amputação era provável.

Ele sabia que o início do pulso palpável era a PA sistólica e raciocinou que o momento de desaparecimento do som sinalizava o início do fluxo laminar e, por conseguinte, do relaxamento da parede arterial.

Ele então propôs que a PA diastólica podia ser estimada através do desaparecimento de todos os sons.

Entendendo melhor. Como ele definiu este método?

O método auscultatório é o procedimento mais comum para verificar as medidas da PA. Esse método utiliza um estetoscópio e um aparelho denominado esfigmomanômetro, composto por um manguito inflável de braço conectado a um marcador aneróide (ponteiro).

A medida ocorre através da oclusão arterial pela inflação do manguito, correlacionando a ausculta dos batimentos cardíacos com o valor registrado na coluna de mercúrio ou pelo ponteiro. Os sons ouvidos durante o procedimento de medida são denominados ruídos de Korotkoff, sendo classificados em cinco fases:

Fases dos sons de Korotkoff Característica e significado
Fase 1 Primeira aparição de ruídos rítmicos, de forma clara e repetitiva, coincidindo aproximadamente com a identificação do pulso palpável. Corresponde ao valor da pressão sistólica.
Fase 2 Os ruídos são mais leves e longos, com a qualidade de um murmúrio intermitente.
Fase 3 Os ruídos tornam-se novamente firmes e altos.
Fase 4 Ruídos abafados, pouco distintos e leves, pode corresponder ao valor da pressão diastólica, para casos de pacientes com histórico prévio de doenças de base que podem afetar o valor da pressão arterial final.
Fase 5 O som desaparece completamente, indica o valor da pressão diastólica.

Veja Também: