A Classificação KDIGO da Lesão Renal

A Lesão renal aguda (LRA) é uma situação frequente em hospitais e unidades de terapia intensiva (UTI), em geral definida como uma redução abrupta da filtração glomerular que leva a aumento de escórias nitrogenadas (ureia e creatinina), distúrbios do equilíbrio acidobásico e alterações hidroeletrolíticas.

Trata-se de uma síndrome clínica ampla que apresenta diversas etiologias, incluindo doenças renais específicas (nefrite intersticial aguda, glomerulopatias e vasculites), condições não específicas (lesões isquêmicas ou tóxicas) e doenças extrarrenais.

Frequentemente, mais de uma dessas condições pode coexistir no mesmo paciente. Desse modo, nos últimos anos, o conceito de LRA vem se aprimorando, bem como as estimativas a respeito de sua incidência, prevalência e mortalidade.

Antes de tudo, é importante você saber:

  • Uma pessoa pode chegar em estágios avançados da disfunção renal sem apresentar sintomas;
  • Exames simples de sangue e urina são capazes de detectar a doença renal;
  • DRC pode ser tratada e, quanto mais cedo for o diagnóstico, maiores serão as chances de controlar a sua evolução;

Provável Causa

sepse é o principal fator etiológico seguida de nefrotoxicidade medicamentosa / contraste iodado e pós-operatório.

Como a função renal é mensurada?

Taxa de Filtração Glomerular (TFG) mede a capacidade dos rins de filtrarem o sangue e possibilita que o nefrologista identifique se há algum comprometimento renal.

A TFG pode ser facilmente estimada por meio do nível de creatinina no sangue, tal indicador é avaliado junto a elementos como idadeetnia e sexo, assim o especialista pode chegar às conclusões clínicas. Também é possível medir a taxa de filtração através da dosagem creatinina urinária em urina de 24h e sérica.

A Classificação

A LRA já foi classificada por diversos protocolos, dentre os quais os famosos RIFLE – risk (R: risco), injury (I: injúria), failure (F: falência), loss (L: perda mantida da função) e end-stage kidney disease (E: insuficiência renal terminal) – do grupo ADQI (2004), AKIN – Acute Kidney Injury Network  (2007) e, atualmente, utiliza-se o KDIGO – Kidney Disease Improving Global Outcomes  (2012) que incorporou as duas definições prévias.

Estágio

 

TFG

 

Descrição

 

Quadro clínico

 

Estágio 1

 

90 ou mais

 

Danos renais com TFG normal

 

Filtração ainda normal, usualmente, sem sintomas. Mas, já existe risco de evolução da doença se os fatores de progressão não forem tratados.

 

Estágio 2

 

60 a 89

 

Danos renais e diminuição leve na TFG

 

Comprometimento leve da função renal. Pode acontecer devido ao próprio envelhecimento. Geralmente, ainda sem sintomas.

 

Estágio 3

 

30 a 59

 

Diminuição pouco severa TFG

 

Começam os primeiros sintomas como anemia e doença óssea leve. O paciente deve iniciar o tratamento conservador e controlar fatores de risco para evitar a perda da função renal.

 

Estágio 4

 

15 a 29

 

Redução severa na TFG

 

Já conhecido como estágio pré-dialítico. O paciente deve manter tratamento conservador e iniciar preparo para substituição renal.

 

Estágio 5

 

15 ou menos

 

Insuficiência renal estabelecida

 

A maioria dos pacientes apresenta sintomas como náuseas, vômitos e perda de peso. Já a anemia, o acúmulo de líquido e a doença óssea ficam mais intensos. Esse é o momento de iniciar substituição renal.

 

 

A detecção da LRA é baseada em uma alteração precoce dos marcadores (creatinina e DU) e precisa ser feita em tempo real.

Os diferentes estágios da LRA servem para determinar o máximo de gravidade, indicado, por exemplo, pelo valor máximo de creatinina.

O estadiamento da LRA é recomendado pelo KDIGO, em virtude de o conjunto de evidências atuais associar o estágio da LRA à necessidade de terapia renal substitutiva (TRS), com risco, a longo prazo, de desenvolvimento de doença cardiovascular, evolução para DRC e mortalidades intra e extra-hospitalares, mesmo após a aparente resolução da LRA.

Referências:

  1. Kidney Disease: Improving Global Outcomes (KDIGO) Acute Kidney Injury Work Group. KDIGO clinical practice guideline for acute kidney injury. Kidney Int Suppl. 2012;2:1-138.
  2. Hoste EA, Clermont G, Kersten A, Venkataraman R, Angus DC, De Bacquer D et al. RIFLE criteria for acute kidney injury are associated with hospital mortality in critically ill patients: a cohort analysis. Crit Care. 2006;10(3):R73.
  3. Bellomo C, Ronco C, Kellum JA, Mehta RL, Palevsky P; Acute Dialysis Quality Initiative Workgroup. Acute renal failure definition, outcome measures, animal models, fluid therapy and information technology needs: the Second International Consensus Conference of the Acute Dialysis Quality Initiative (ADQI) Group. Crit Care. 2004;8(4):R204-12.
  4. Chertow GM, Burdick E, Honour M et al. Acute kidney injury, mortality, length of stay, and costs in hospitalized patients. J Am Soc Nephrol. 2005;16:3365-70.
  5. Mehta RL, Kellum JA, Shah SV, Molitoris BA, Ronco C, Warnock DG et al. Acute Kidney Injury Network: report of an initiative to improve outcomes in acute kidney injury. Crit Care. 2007;11(2):R31.
  6. Kirsztajn, Gianna Mastroianni et al. Leitura rápida do KDIGO 2012: Diretrizes para avaliação e manuseio da doença renal crônica na prática clínica. Jornal Brasileiro de Nefrologia [online]. 2014, v. 36, n. 1 [Acessado 10 Novembro 2022] , pp. 63-73. Disponível em: <https://doi.org/10.5935/0101-2800.20140012&gt;. ISSN 2175-8239. https://doi.org/10.5935/0101-2800.20140012.
Notícias da Enfermagem

Instituto abre seleção de estágio ao curso de Enfermagem para o Senac em Palmas e Araguaína

O Instituto Fecomércio de Pesquisa e Desenvolvimento (IFPD) está com seleção aberta para duas vagas de estágio para o Senac em Palmas e Araguaína. As vagas disponíveis são para estudantes do curso de Enfermagem. Todas as vagas oferecem seguro de vida contra riscos de acidentes pessoais, enquanto o termo de compromisso de estágio estiver ativo. Os interessados […]

Notícias da Enfermagem

Santa Casa de Cachoeiro está com vagas abertas para estagiários

A Santa Casa de Misericórdia Cachoeiro, além de cuidar da saúde da população, também ajuda na inserção de adolescentes e jovens no mercado de trabalho. Atualmente o hospital tem oportunidades abertas para estágios para técnicos de enfermagem. Os interessados em concorrer a uma das vagas devem fazer o cadastro no site www.superestagios.com.br Para isso realiza na […]

Caderno de Estágio Enfermagem Ilustrada

 

Já conhece nosso Caderno de Estágio Enfermagem Ilustrada ?

Os Caderno de estágio Enfermagem Ilustrada, são feitos artesanalmente para estudantes/estagiários técnicos de enfermagem. Utilizado para consultas rápidas de procedimentos mais comuns em rotinas de estágio. Além contar com espaço (folhas pautadas) para anotações, que podem ser utilizadas para rascunhos de relatório de enfermagem.

A Compra pode ser realizada e nossa loja OFICIAL através de cartão de crédito, PIX boleto bancário.

CORRA E GARANTA JÁ O SEU!!!

 

VISITE NOSSA LOJA!

enfermagemilustradashop.com.br

ESPECIFICAÇÕES DO PRODUTO:

– Capa Dura;
– Espiral plástico na cor preta;
– 52 folhas:
                  28 folhas com ilustrações frente e verso;
                  20 folhas pautadas frente e verso;
                    4 folhas índice, dados pessoais, calendário;

– Tamanho: A5 (14,8 x 21 cm);
– Papel Offset 95gr. Ilustrações; 75gr. folhas pautadas;
– Tipo de Impressão: Jato de Tinta;

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

Temas ilustrados para consulta rápida:
– Tipos de Leitos;
– Posições para exames;
– Anotação de Enfermagem
– Tempos Cirúrgicos
– Temperatura Corporal;
– Quadrantes Abdominais;
– Sinais Vitais;
– Eletrocardiograma;
– Sons de Korotkoff;
– Tubos de Coleta;
– Força Motora (Plegia/Paresia/Paralisia);
– Sinais Flogísticos;
– Via Intramuscular.
– Via Subcutânea;
– Seringas;
– Agulhas;
– Cateter Agulhado;
– Cateter Flexível;
– Medidas e Proporções;
– Tipos de Insulinas;
– Administração segura de medicamentos;
– Vias de Administração de Medicamentos;
– Regra de Três;
– Cálculo de Gotejamento;
– Cálculo de Insulina;
– Cálculo de Heparina;
– Cálculo de Dexametasona;
– Cálculo de Penicilina;
– Balanço Hídrico;
– Carrinho de Emergência;
– Materiais para Intubação;
– Cateter O2;
– Máscara de Venturi;
– Macronebulização;
– Inaloterapia;
– CPAP;
– Intubação Endotraqueal;
– Traqueostomia;
– Terminologias da Urina;
– Sonda Vesical de Demora;
– Sonda Vesical de Alívio;
– Nutrição Parenteral;
– Nutrição Enteral;
– Sonda Gástrica;
– Sonda Enteral;

OBSERVAÇÃO:

* TIRE TODAS OU QUAISQUER DÚVIDAS ANTES DE FECHAR O PEDIDO.