Pressão Arterial: Divergente e Convergente

Sabemos que a Pressão Arterial é a medida da pressão exercida pelo sangue nas paredes das artérias. Porém, a pressão arterial (PA) depende da força de contração do coração, da quantidade de sangue circulante e da resistência dos vasos.

E assim, ao medir a PA consideramos a pressão máxima ou sistólica, que resulta da contração dos ventrículos para ejetar o sangue nas grandes artérias; e a pressão mais baixa ou diastólica, que ocorre assim que o coração relaxa.

Mas você sabia que pode ocorrer o que chamamos de Pressão Arterial Convergente e Divergente?

Pressão Arterial Convergente

pressão arterial é convergente quando a diferença entre a pressão arterial sistólica e a pressão arterial diastólica (Pressão diferencial) é menor que 30mmHg.

Exemplos:

  • 140/120mmHg (pressão diferencial de: 20mmHg = 140-120);
  • 120/100mmhg (pressão diferencial de: 20mmHg).
  • 130/112mmHg (diferença: 18 mmHg)

A pressão alta convergente preocupa muito a todos, pois a pressão arterial diastólica se eleva muito com sérios riscos para a saúde do paciente.

Algumas causas:

  • Insuficiência cardíaca;
  • Baixo debito cardíaco (derrame pericárdico, Infarto do miocárdio, choque );
  • Hipotireoidismo.

Vale lembrar que:

A Pressão arterial convergente nunca irão se encontrar: É um mito! As pressões sistólica e diastólica nunca serão 120/120mmHg – isso não existe.

Pressão Arterial Divergente

pressão é divergente quando a diferença entre a pressão sistólica e a pressão diastólica (Pressão diferencial) ultrapassa o valor de 60mmHg.

Exemplos:

  • 160/30mmHg (pressão diferencial de: 130mmHg = 160-30);
  • 170/40mmhg (pressão diferencial de: 130mmHg);
  • 140/20mmHg (pressão diferencial de: 120mmHg).

Algumas causas:

  • Insuficiência aórtica;
  • Fístula arteriovenosa;
  • Hipertireoidismo;
  • Fibrose senil de grandes vasos.

Vale lembrar que:

Quando há uma pressão divergente, normalmente há uma doença que está associada a esse comportamento da pressão arterial, que fica divergente.

Referências:

Sopro no coração

Comentários