Coletor Rígido para Resíduos Tóxicos

O Coletor Rígido para Resíduos Tóxicos foi desenvolvido para descartar seguramente os resíduos da Classe B, que são resíduos que contém substâncias químicas que podem apresentar riscos à Saúde pública ou ao meio ambiente, dependendo de suas características.

Descarte de Medicamentos Abertos ou Vencidos

Os medicamentos hormonais, antimicrobianos, citostáticos, antineoplásicos, imunossupressores, digitálicos, imunomoduladores, anti-retrovirais vencidos ou o resíduo de seus produtos são considerados de risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente, portanto, o seu descarte deverá seguir as orientações de Segregação e Acondicionamento de Resíduos Químicos.

Os demais medicamentos, uma vez descaracterizados (retirados da embalagem e triturados ou dissolvidos), podem ser descartados como Resíduos Comuns na rede de esgoto.

O Envio do Material Preparado Para Descarte

As caixas rígidas ou bombonas com solventes e soluções deverão:

  • Apresentar perfeito estado de conservação;
  • Vedação de tampas originais, não sendo admitido o uso de plásticos presos por fitas adesivas em substituição à tampa;
  • No lado externo do recipiente, colocar a etiqueta de declaração de conteúdo e simbologia de risco, em concordância com a NBR 10004 e NBR 7500.

Juntamente com todo o material a ser descartado, os laboratórios deverão encaminhar a “Ficha Para Inventário de Resíduos” devidamente preenchida e uma Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) que foram gerados nas instituições hospitalares.

No caso de descarte de produtos vencidos nas embalagens originais, pode ser usada a FISPQ do fornecedor do produto, com a indicação de que o emissor é o laboratório de origem do resíduo.

Veja também:

O que são os Resíduos Hospitalares?

Referência:

  1. Descarpack

Coletor de Urina Pediátrico

O coletor de Urina Pediátrico, é muito utilizado na coleta de amostras de urina de pacientes pediátricos para posterior diagnóstico clínico.

Encontra-se em versões com formato de entrada Masculino, Feminino e Unissex.

Como funciona?

O coletor de urina pediátrico provém de um adesivo altamente resistente, para instalar na criança e permitindo visualizar o conteúdo em sua bolsa transparente. Não é necessário deixar a criança despida, pode utilizar de fralda e/ou roupas por cima, para melhor conforto. Com capacidade de até 100ml.

Objetivos

  • Realizar controle hídrico;
  • Coletar urina para exames laboratoriais;
  • Evitar coleta de urina por cateter vesical e/ou outra técnica invasiva.

Indicação

  • Crianças com menos de 2 anos de idade;
  • Crianças com desenvolvimento cognitivo ou físico prejudicado;
  • Crianças com controle esfincteriano prejudicado ou sem controle esfincteriano voluntário.

Cuidados de Enfermagem

Material Necessário

  • EPI: dois pares de luvas de procedimento, capote, máscara cirúrgica;
  • Bandeja;
  • Materiais para higienização íntima;
  • Saco coletor de urina pediátrico (masculino ou feminino) com bordas colantes;
  • Frasco coletor de urina identificado com os dados da criança (nome, registro e/ou nº do prontuário, data, hora e tipo de exame);
  • Seringa descartável de 10 ml;
  • Cateter uretral de fino calibre;
  • Gazes;
  • Fralda descartável, se for o caso.

Procedimento

  1. Explicar o procedimento a ser realizado e sua finalidade a criança e/ou ao familiar;
  2. Higienizar as mãos;
  3. Reunir material necessário e levá-los a unidade, colocando materiais o mais próximo ao leito;
  4. Calçar as luvas;
  5. Realizar a higiene íntima e trocar as luvas;
  6. Pegar o saco coletor adequado e retirar os adesivos;
  7. Fixar o coletor em meato uretral de modo não deixar folgas ou dobras entre o coletor e a pele;
  8. Colocar fralda descartável, se necessário;
  9. Aguardar a micção, observando o saco coletor a cada 20 minutos;
  10. Higienizar as mãos;
  11. Retirar o saco coletor com delicadeza;
  12. Abrir os invólucros da seringa e do cateter, acoplá-los e aspirar 10 ml da urina, transferi-la para frasco de coleta esterilizado e tampá-lo;
  13. Recolher o material;
  14. Retirar EPI;
  15. Recompor a unidade da criança;
  16. Colocar a criança em posição confortável, adequada e segura;
  17. Dar destino adequado aos materiais e encaminhar os não descartáveis ao expurgo;
  18. Higienizar as mãos;
  19. Providenciar o encaminhamento da amostra ao laboratório, junto com a requisição do exame;
  20. Proceder as anotações de enfermagem no prontuário da criança, constando: hora da coleta, tipo de exame, ocorrências adversas e as medidas tomadas.

Algumas Observações

  • Está contra indicado o uso do coletor em crianças com lesões no períneo;
  • Solicitar ao acompanhante que evite grandes movimentações da criança durante o tempo em que estiver com o coletor;
  • Quando o tempo de envio, ao laboratório, da urina coletada, for maior que 1 hora, manter sob refrigeração (na geladeira).

Coletor/Caixa Perfurocortante e os cuidados de enfermagem

O Coletor ou Caixa Perfurocortante é um recipiente destinado ao descarte de resíduos de serviços de saúde, perfurantes ou cortantes, desprezando todo material que corta ou perfura, como agulhas, lancetas, vidros em geral, lâminas de bisturi, ampolas, cateter, etc.

Nesse sentido, devem ser fabricadas de acordo com as normas da ABNT NBR 13853, fornecendo proteção contra perfurações, vazamentos e garantindo segurança aos usuários.

Ela é composta por muitos elementos e sua montagem correta garante a eficiência do descarte e confiabilidade do recipiente.

Componentes de uma Caixa Perfurocortante

É composta por:

  • Saco Plástico: Possui dupla utilidade, pois além de transportar o coletor, forma um DUPLO revestimento, o que garante a proteção contra vazamento de resíduos;
  • Fundo ou tabuleiro: Feito de papelão rígido, evita perfurações no fundo do coletor;
  • Cinta Interna: Também produzido com material de papelão rígido, ocupa toda a área interna, evitando perfurações nas paredes e cantos do coletor;
  • Bandeja Interna: Garante a segurança contra vazamento de líquidos.

Qual é a sequência de montagem de um Coletor Perfurocortante?

Cada fabricante disponibiliza a sequência correta da montagem de seu material, devendo sempre ser seguido conforme o que é estabelecido.

De uma forma geral, maioria pode seguir um padrão de sequência, como esta:

  1. Sequência para o fechamento no fundo: Dobrar aba 1, dobrar abas 2 e 3 simultaneamente e dobrar aba 4 até travar;
  2. Abra todas as abas do coletor;
  3. Abra o saco plástico, coloque o tabuleiro dentro do saco plástico. Introduza também a cinta interna, posicione-a em forma de triangulo sobre o tabuleiro;
  4. Coloque o saco plástico já com o tabuleiro e a cinta dentro do coletor;

5. Colocar as sobras do saco plástico dentro do coletor;
6. Introduza a bandeja impermeável sobre o saco plástico até o fundo;
7. A seguir faça a montagem das alças duplas dobrando-as para dentro e fecha a aba que possui um buraco no meio;
8. Após o uso, travar o lacre para descarte.

Cuidados de Enfermagem

  • Durante o transporte mantenha o coletor afastado do corpo;
  • Sempre carregar pelas ABAS da caixa, para que evite acidentes;
  • Ao fechar após o uso, deve descartar a caixa dentro de um saco intitulado “INFECTANTE” e desprezado em um lixo próprio para materiais infectantes;
  • Ao montar a caixa para a utilização, deve identificar a data de montagem e abertura, setor de destino e o nome do colaborador que realizou a montagem;
  • Não deve jamais ultrapassar a linha máxima pré estabelecida na caixa;
  • Deve acondicionar a caixa em um local livre, longe de pias que possam molhar recipiente;
  • De preferência, deve ser acondicionada em um suporte próprio para parede.

Referências:

  1. Descarpack;
  2. Descarbox.