Tecido de Granulação

O Tecido de Granulação é constituído por vasos capilares sanguíneos neoformados, tecido conjuntivo propriamente dito e leucócitos. Não deve ser confundido com reação inflamatória crônica granulomatosa.

A literatura mostra que a ferida mais profunda tende a demandar mais tempo para cicatrizar, uma vez que o organismo tem que produzir mais tecido de granulação para preencher o espaço morto e posteriormente ocorrer a contração e epitelização das feridas.

O Seu Aspecto

Possui o aspecto vermelho, brilhante e úmido. O tecido doente tem aspecto pálido-escuro, podendo sangrar espontaneamente e com aparência friável (que se parte facilmente), indicando processo infeccioso em andamento.

O Cuidado

O cuidado com a ferida consiste na limpeza cuidadosa e rigorosa em toda sua extensão e profundidade. Atualmente, considera-se que a melhor técnica de limpeza do delicado leito da ferida compreende a irrigação com jatos de solução salina isotônica (NaCl 0,9%), que serão suficientes para remover os corpos estranhos e os tecidos frouxamente aderidos, além de preservar o tecido de granulação neoformado, que é um tecido frágil.

Deve-se evitar a agressiva esfregação da pele íntegra ao redor da área, pois pode-se traumatizá-la, destruindo assim a barreira protetora, o que propiciaria a penetração de bactérias.

Deverão ser registradas as características da ferida: porcentagem e aspecto do tecido de granulação e necrótico, aspecto, odor e volume do exsudato, característica de dermatite ao redor da ferida, sinais locais e sistêmicos de infecção e classificação da dor.

Referências:

  1. BRUNNER, L.S., SUDDARTH, D.S. Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987. 2 v. cap. 21, p. 345-377: Enfermagem no pós operatório;
  2. DEALEY, C. Cuidando de feridas; um guia prático para enfermeiras. São Paulo: Atheneu, 1992. 256p;
  3. EAGLSTEIN, W.H. et al. New directions in wound healing; wound care manual. 5. ed. Princeton: Convatec, 1990;
  4. MOURA, M.L.P.A. Uma alternativa para o tratamento de feridas infectadas com exsudato; curativo de carvão ativado e prata. In: ENFTEC. 1990, São Paulo. Anais… São Paulo: Centro de Estudos de Enfermagem 8 de Agosto, 1990. 510p. p. 139-144.
Comentários