Agulha com Dispositivo de Segurança

Utilizar agulhas de segurança é medida de prevenção fundamental para zelar pela integridade física dos profissionais da área de saúde.

É que o número de contaminação com instrumentos perfurocortantes ainda é bem alarmante. Para minimizar esses efeitos, no mercado, já existem materiais que otimizam a aplicação de injetáveis e evitam acidentes com a agulha contaminada durante manipulação e descarte desses materiais.

As agulhas de segurança são elaboradas para garantir a proteção dos profissionais em todo processo de manuseio.

Os perfurocortantes com dispositivo de segurança também protegem as pessoas que circulam por ambientes hospitalares e têm contato com o material após seu descarte (agentes de limpeza e manutenção, por exemplo), já que a agulha fica protegida dentro do sistema de segurança após o uso.

Para que elas sejam eficazes, no entanto, precisam seguir as normas da NR32 e do INMETRO.

Como utilizar agulhas de segurança?

  1. Abra a embalagem da agulha em pétala.
  2. Você pode conferir o padrão universal de cores no dispositivo de segurança da agulha para identificar o tamanho.
  3. Conecte a agulha na seringa Luer Lock e dê uma volta completa.
  4. Conecte a agulha com firmeza na seringa Luer Slip.
  5. Aspire a medicação e elimine as bolhas de ar.
  6. Acione a trava de segurança até ouvir o barulho de encaixe (“click”).
  7. Troque a agulha de aspiração por uma agulha de segurança.
  8. A capa de segurança direciona o bisel para o ângulo de aplicação.
  9. Aplique a medicação conforme o protocolo da instituição.
  10. Para acionar o dispositivo de segurança, você deve seguir as recomendações do protocolo da sua instituição; assim, você tem duas opções:

Opção 1: acionar o dispositivo com o polegar imediatamente após o uso (até ouvir o barulho de encaixe – click);

Opção 2: acionar o dispositivo na bancada imediatamente após o uso (até ouvir o barulho de encaixe – click);

  1. Descarte a agulha conectada à seringa no coletor de perfurocortante.

Veja também:

Posições do Bisel

Agulha: Os Tipos e Indicações

Agulha Ponta Romba

Referência:

  1. BBraun

Extensor Polifix Multivias

Hoje em dia são disponibilizados diversos dispositivos essenciais no auxílio à terapia medicamentosa por via intravenosa.

E uma delas, é o extensor intermediário de duas ou quatro vias para administração de medicações parenterais compatíveis, que podem substituir em algumas situações, as tradicionais dânulas (three-way).

Chamadas de Extensores Polifix, Multivias Ou Extensores Valvulados, elas podem aumentar e prolongar as vias de infusão a partir de um único acesso venoso, permitindo infusões simultâneas de medicações compatíveis a partir de um único acesso venoso, Facilitando a mobilidade do paciente.

Alguns Cuidados de Enfermagem

  • O Extensor é de uso único e descartado, deve-se respeitar o tempo de uso através de protocolos de troca de dispositivos preconizados nos hospitais;
  • O Extensor deve ser trocado antes do prazo caso haja sujidades como grumos de sangue, medicamentoso, que possam obstruir toda a extensão do cateter;
  • Ao vencimento do prazo do Extensor, deve-se trocar o cateter intravenoso periférico flexível, para evitar a disseminação de infecção na corrente sanguínea;
  • Deve-se guardar as tampas em um local limpo e livre de contaminação para posterior uso;
  • Não deixar as vias de acesso dos extensores que não estão sendo infundidas no momento SEM AS TAMPAS!;
  • Em Extensores valvulados, devem ser feitas antissepsias com álcool 70% friccionando-as 3 vezes em movimentos rotativos, também serve no caso dos extensores com saída luer distal fêmea;
  • Caso haja perda das tampas, providenciar tampas valvuladas, caso não há disponibilidade, deve descartar a o extensor realizando uma nova troca;
  • Atentar ao rosqueamento do extensor com a via de acesso dos equipos, para evitar a desconexão acidental de todo o sistema;
  • Ao término de uma infusão, deve-se salinizar toda a extensão e clampear o extensor para que evite extravasamento de fluídos.

Veja também:

Terapia Intravenosa (TI) e suas Complicações

O que é “Salinizar” um Cateter?

Torneira de 3 Vias: “Dânula” ou “Three-way”