Diferenças entre Trombose e Embolia

A Trombose e a embolia parecem, aos olhos do leigo, dois nomes diferentes da mesma doença. Existe alguma diferença entre elas?

A trombose é um componente do sangue que é formado em vasos sanguíneos. Componentes, tais como plaquetas ou fibrina geralmente se formam quando o órgão humano é ferido. Coágulos quem impedem que o sangue flui, eventualmente, resulta num tecido de formação.

Muitos coágulos originam-se nas pernas e, muitas vezes causada por inatividade. Estes são referidos como trombose venosa profunda.

Os sintomas de trombose incluem encurtamento da respiração, dor no peito e inchaço. Ainda assim, existem muitas vezes sem sintomas de TVP em todos.

As pessoas podem reduzir o risco de trombose, flexionando periodicamente e estendendo as pernas e fazer longas caminhadas durante períodos de inatividade física. Existem meias de compressão especiais que são projetados para aumentar o fluxo sanguíneo. Os outros métodos recomendados para a prevenção da arteriosclerose incluem comer alimentos de baixo colesterol, tais como frutas, vegetais e cereais.

O que é Embolia?

Uma Embolia é uma peça de um trombo que se divide a partir dele, e move-se ainda mais através da corrente sanguínea diretamente para o cérebro humano ou de outro órgão, movimentos êmbolos na corrente sanguínea até atingirem um estreitamento em uma artéria por meio do qual eles não podem passar.

Quando preso, eles reduzem significativamente o fluxo sanguíneo para os tecidos e adjacentes do organismo humano, o que torna estes tecidos isquêmicos, ou seja, causando um estado quando o oxigênio e a glicose são insuficientes para atender à demanda metabólica.

Trombose VS Embolia

Qual a diferença entre a Trombose e a Embolia?

Quando se forma um coágulo de sangue num vaso sanguíneo é uma trombose. Se, por outro lado, o coágulo se desloca ainda mais para dentro do corpo, isso quer dizer que é uma embolia.

O termo thromboembolus é muitas vezes usado na medicina porque a maioria das embolias surgem a partir de tromboses. Algumas tromboses nunca se tornam embolias, mas são tão perigosos para o organismo humano como as embolias, e precisam ser tratadas clinicamente. A maioria das embolias são tromboses, embora em alguns casos, pedaços de chapa, gordura, bolhas de ar, e outra formam material em uma embolia. Todos estes também se qualificam como embolias.

Seringas: Tipos e Indicações

Seringas

As seringas são equipamentos usados por profissionais da área da saúde para inserir substâncias líquidas por vias: intravenosa, intramuscular, intracardíaca, intratecal, subcutânea, intradérmica e intramuscular.

Contudo, sendo também muito utilizada para retirar sangue e etc,  trata-se de um dispositivo que antigamente era produzido em vidro, e hoje em dia com material plástico, sendo que esta primeira forma era bastante usual e pela dificuldade de esterilizar a seringa, ocasionando grandes problemas com contaminação, infecções cruzadas, foi descontinuada a sua fabricação, sendo assim a mais utilizada as seringas de uso único, de material plástico, e descartáveis.

Como é formado o corpo de uma seringa?

Os componentes básicos de uma seringa são:

  • bico:  É o local onde se conecta a agulha;
  • O êmbolo: É feito de material de borracha, cujo papel é de selar a medicação internamente, para que não vaze pelo corpo da seringa, e ao empurrar, a mesma auxilia a injetar a medicação;
  • O corpo: É o local que será preenchido pela medicação ou outro líquido;
  • A Haste: É onde puxamos para aspirar empurramos para injetar;
  • A empunhadura: É onde seguramos, para realizar a introdução da medicação.
  • As linhas de graduação: É formado por linhas, para auxilar na dosagem que é necessário para tais medicamentos.

Os tipos de bicos

Vocês sabiam que existem dois tipos de Bico no mercado?

Podemos encontrar seringas tipo Luer Lockluer slip que nada mais é seringas com pontas rosqueadas ou com pontas bicudas.

A Seringa de bico Luer Slip tem um design que permite o encaixe facilitado da agulha e promove durante a manipulação o encaixe em cateteres,  aplicações de vacina,  coleta de sangue, e até em cateteres periféricos, além de infusão de medicações líquidas e menos viscosas.

Diferente da Seringa de bico Luer Lock que apresenta em sua ponta uma rosca dupla dificultando desprendimento da agulha, proporcionando assim maior segurança durante a manipulação da agulha no corpo humano.

Especialmente quando é administrado medicamentos oleosos tanto em vias subcutâneas, quanto musculares ou intravenosas.

Com certeza a preferência pelo tipo de conexão a ser usada independentemente do procedimento, é individual para cada profissional ou pela instituição nos protocolos assistenciais sendo que poucos procedimentos são efetivos como só certos tipos de seringa.

Seringas

Que graduações as seringas têm e para que indicações elas têm?

As graduações das seringas são variadas podendo ser encontrada sob a forma de:

  • A seringa de 1ml:  Geralmente usada para insulina intradérmica e subcutânea, a seringa de 1ml é dividida em cem partes iguais que correspondem a 1 para 100 por 1 ml = 100 unidades internacionais;
  • A seringa de 3ml:  É geralmente usada para administração de soluções intramusculares, é graduada e dividida em milímetros cúbicos, que significa que 3ml foram divididos em partes iguais com graduação de identificação que correspondem a 3 por 30 que é igual a 0,1 ml ou seja,  essa seringa é dividida de 0,5 em 0,5 ml,  e cada 0,5 ml é dividido em 0,1 ml;
  • A seringa de 5ml: É geralmente usada para administração de soluções intramusculares,  é graduado é dividida em milímetros cúbicos,  que significa que 5ml foram divididos em partes iguais com graduação de identificação que correspondem a 5 por 25 que é igual a 0,2 ml ou seja, essa seringa é dividida de 1ml, cada 1 ml é dividido em 0,2 ml;
  • A seringa de 10ml:  É geralmente usada para administração de soluções endovenosas, é graduado é dividida em milímetros cúbicos,  que significa que 10ml foram divididos em partes iguais com graduação de identificação, divididos em 10 por 50 que é igual a 0,2 ml ou seja essa seringa dividida de 1 ml, e cada 1 ml é dividido em 0,2 ml;
  • A seringa de 20ml: É geralmente usada para administração de soluções endovenosas, é graduada e dividida em milímetros cúbicos, que significa que 20 ml foram divididos em partes iguais com graduação de identificação, uma seringa de 20 ml possui números inteiros, pois 20 por 20 é igual a 1 ml, ou seja essa seringa é dividida em 1ml;
  • A seringa de 60ml: É geralmente usada para aspiração e injeção de grandes volumes líquidos e soluções, e alimentação enteral, durante procedimentos médicos, a sua escala de graduação de 1 em 1 ml.

OBSERVAÇÃO!

Não se esqueça a cada 1 ml é igual a 1 centímetro cúbico que corresponde a 1 CC, sendo que a unidade é igual a 0,01 ml.

Veja mais em nosso canal YouTube: