Embolia Gasosa

A Embolia Gasosa ou embolia por gás é a obstrução dos vasos sanguíneos em decorrência da presença de bolhas em artérias e veias.

Essa condição, apesar de rara, gera mortes em aproximadamente 30% dos casos e está associada normalmente a procedimentos médicos, tais como craniotomia, angiografia, ventilação mecânica, cesarianas e procedimentos com circulação extracorpórea.

Além disso, pode ocorrer embolia gasosa em acidentes de mergulho, em que pode acontecer a expansão do ar retido nos pulmões do mergulhador no momento da subida. Essa expansão ocorre em razão da diminuição da pressão à medida que ocorre a subida para a superfície.

Com isso, o ar passa para a corrente sanguínea e provoca bolhas, que acabam impedindo o fluxo normal do sangue.

Como Acontece?

A embolia gasosa pode ocasionar a obstrução do fluxo sanguíneo para diversas partes do corpo, sendo potencialmente fatal quando ocorre no coração e no cérebro, que são regiões muitos sensíveis a condições de baixa concentração de oxigênio.

É importante frisar que, para produzir um quadro significativo de embolia gasosa, é fundamental que sejam injetados mais de 300 ml de ar, segundo dados de alguns trabalhos.

Além disso, a velocidade dessa injeção de ar também é importante, sendo necessária uma taxa de 100 ml/segundo. Em pacientes com problemas cardiopulmonares, entretanto, quantidades menores podem ser fatais.

Sinais e Sintomas

As manifestações mais comuns em casos de embolia gasosa são falta de ar súbita, dor no peito, tontura, náusea, confusão e perda de consciência.

Ao surgirem os sintomas, deve-se iniciar imediatamente o tratamento, em que se faz necessário o suporte respiratório e circulatório.

Geralmente, coloca-se o paciente em uma posição conhecida como posição de Trendelemburg ou em decúbito lateral esquerdo.

Tratamento

Além disso, é administrado oxigênio a 100% ou adotada a oxigenoterapia hiperbárica, em que o paciente é colocado em um ambiente com oxigênio puro e com pressão superior à atmosférica. Essa técnica diminui o tamanho do êmbolo e previne o edema cerebral.

Percebe-se, portanto, que apesar de ser um evento considerado raro, o risco de morte pode ser alto se não tratado da forma adequada. Sendo assim, é de fundamental importância que todos os profissionais da saúde saibam diagnosticar, tratar e, principalmente, prevenir o embolismo gasoso.

Referências:

  1. SANTOS, Vanessa Sardinha dos. “Embolia Gasosa”; Brasil Escola.

Diferenças entre Trombose e Embolia

A Trombose e a embolia parecem, aos olhos do leigo, dois nomes diferentes da mesma doença. Existe alguma diferença entre elas?

A trombose é um componente do sangue que é formado em vasos sanguíneos. Componentes, tais como plaquetas ou fibrina geralmente se formam quando o órgão humano é ferido. Coágulos quem impedem que o sangue flui, eventualmente, resulta num tecido de formação.

Muitos coágulos originam-se nas pernas e, muitas vezes causada por inatividade. Estes são referidos como trombose venosa profunda.

Os sintomas de trombose incluem encurtamento da respiração, dor no peito e inchaço. Ainda assim, existem muitas vezes sem sintomas de TVP em todos.

As pessoas podem reduzir o risco de trombose, flexionando periodicamente e estendendo as pernas e fazer longas caminhadas durante períodos de inatividade física. Existem meias de compressão especiais que são projetados para aumentar o fluxo sanguíneo. Os outros métodos recomendados para a prevenção da arteriosclerose incluem comer alimentos de baixo colesterol, tais como frutas, vegetais e cereais.

O que é Embolia?

Uma Embolia é uma peça de um trombo que se divide a partir dele, e move-se ainda mais através da corrente sanguínea diretamente para o cérebro humano ou de outro órgão, movimentos êmbolos na corrente sanguínea até atingirem um estreitamento em uma artéria por meio do qual eles não podem passar.

Quando preso, eles reduzem significativamente o fluxo sanguíneo para os tecidos e adjacentes do organismo humano, o que torna estes tecidos isquêmicos, ou seja, causando um estado quando o oxigênio e a glicose são insuficientes para atender à demanda metabólica.

Trombose VS Embolia

Qual a diferença entre a Trombose e a Embolia?

Quando se forma um coágulo de sangue num vaso sanguíneo é uma trombose. Se, por outro lado, o coágulo se desloca ainda mais para dentro do corpo, isso quer dizer que é uma embolia.

O termo thromboembolus é muitas vezes usado na medicina porque a maioria das embolias surgem a partir de tromboses. Algumas tromboses nunca se tornam embolias, mas são tão perigosos para o organismo humano como as embolias, e precisam ser tratadas clinicamente. A maioria das embolias são tromboses, embora em alguns casos, pedaços de chapa, gordura, bolhas de ar, e outra formam material em uma embolia. Todos estes também se qualificam como embolias.

Os Tipos de Choque: Entenda de uma maneira mais fácil

tipos de choque

Em termos básicos, referimos o termo “Choque” em ambiente pré-hospitalar como “Perfusão inadequada generalizada de oxigênio nos órgãos e tecidos”.

O estado de choque pode surgir por diversas causas e, para cada caso, o choque tem uma definição específica, como choque anafilático, séptico ou hipovolêmico, por exemplo.

Entendendo os principais grupos de choques

Choque Hipovolêmico: O choque hipovolêmico é causado por uma diminuição no volume intravascular caracterizado por perfusão tecidual ineficaz e hipóxia. O choque hipovolêmico normalmente surge quando existe uma hemorragia que provoca a perda excessiva de sangue, como acontece em casos de:

  • Feridas ou cortes muito profundos;
  • Acidentes de trânsito;
  • Quedas de grande altura;
  • Hemorragia interna;
  • Úlceras ativas, sangrando;
  • Menstruação muito intensa;
  • Desidatração;
  • Queimaduras severas.

Choque Cardiogênico: Acontece quando o coração perde sua capacidade para bombear sangue em quantidade adequada para os órgãos, causando diminuição acentuada da pressão arterial, falta de oxigênio nos tecidos e cúmulo de líquidos nos pulmões. As causas incluem:

  • Infarto Agudo do Miocárdio com falência do ventrículo esquerdo;
  • Insuficiência cardíaca coronariana;
  • Fibrilação ventricular;
  • Arritmias;
  • Tamponamento cardíaco (Pericárdico);
  • Valvulopatias;
  • Estenose aórtica;
  • Trauma no Miocárdio;
  • Estágios terminais da Sepse (infecção generalizada);
  • Intoxicação, seja medicamentosa ou não.

Choque Obstrutivo: A compressão do coração por outros órgãos ou corpos leva a que esse órgão não se encha de tanto sangue quanto normalmente. Bombeando menos sangue para o mesmo espaço, há queda da pressão arterial e dilatação da veias que não conseguem escoar o seu conteúdo. É causado por situações traumáticas como:

  • O pneumotórax de tensão ocorre quando há um vazamento de ar do pulmão para a pleura, através de um mecanismo valvular que não permite que o ar retorne para o pulmão. O ar sai do pulmão e fica preso dentro de tórax, causando uma compressão progressiva do pulmão, do coração e dos grandes vasos da base (aorta e veia cava). Necessita de drenagem torácica urgente para evitar a morte do paciente;
  • O tamponamento cardíaco é a hemorragia para o espaço entre o pericárdio fibroso e o coração. O pericárdio é inflexível e a acumulação de líquido comprime o coração;
  • Ruptura do diafragma com herniação das vísceras intestinais para o tórax.

Choque Distributivo: O choque distributivo ou vasogênico ocorre quando o volume sanguíneo é anormalmente deslocado no sistema vascular tal como ocorre quando ele se acumula nos vasos sanguíneos periféricos.

Esse deslocamento de sangue causa uma hipovolemia relativa porque o sangue insuficiente retorna ao coração. O que leva a uma deficiente perfusão tissular subsequente o tônus vascular é regulado tanto por mecanismos reguladores locais, como nas necessidades tissulares de oxigênio e nutrientes.

Portanto, o choque distributivo pode ser causado tanto por perda do tônus simpático quanto pela liberação de mediadores químicos pelas células. Os vários mecanismos que levam à vasodilatação inicial no choque distributivo subdividem em neurogênico, anafilático e séptico.

Cuidados de Enfermagem com os Choques em Geral

  • Controle rigoroso da pressão arterial (PA);
  • Reposição dos volumes dos líquidos perdidos;
  • Sangue total – no choque hemorrágico;
  • Plasma e Albumina Humana – Perda de Proteínas;
  • SF a 0,9% e Ringer Simples ou Lactato – Perda de água e eletrólitos ou para complementação da reprodução volêmica, enquanto se espera líquido mais adequado para o caso;
  • Dextran, Haemaccel e outros expansores plasmáticos – usado em substituição ao plasma, ou albumina, ou mesmo ao SF 0,9% em caso de necessidade de grande volume de reposição;
  • Administração de drogas vasoativas quando a reposição do volume não responda no paciente;
  • Preparo do paciente para cirurgia em caso de hemorragia persistente, ex.: trauma que requer correções cirúrgicas;
  • Administração de anti-hemorrágicas prescrito pelo médico;
  • Controle e vigilância constantes no gotejamento das drogas vasoativas para manutenção da PA em níveis aceitáveis.

¿Qué es la embolia pulmonar?

embolia pulmonar

La embolia pulmonar, también conocida como tromboembolismo pulmonar (TEP), es el bloqueo de la arteria pulmonar o una de sus ramas. Generalmente ocurre cuando un trombo venoso (sangre coagulada de una vena) se mueve desde su sitio de formación y viaja, o emboliza, al suministro de sangre arterial de uno de los pulmones.

¿Cuáles son los signos y síntomas?

Los síntomas pueden incluir dificultad para respirar, dolor en el pecho al inhalar y tos con sangre.

También pueden presentarse síntomas de trombosis venosa profunda en la extremidad inferior, como hiperemia, calor, hinchazón y dolor.

Los signos clínicos incluyen baja saturación de oxígeno en la sangre, respiración rápida y taquicardia. Los casos graves de embolia pulmonar no tratada pueden provocar pérdida de conciencia, inestabilidad circulatoria y muerte súbita.

¿Qué causa una embolia?

La mayoría de las veces es causada por la presencia de un coágulo de sangre en una arteria, que bloquea el paso de la sangre. Este coágulo generalmente se deriva de las venas de las piernas (principalmente de la región del muslo) o de la pelvis (área de las caderas).

Este tipo de coágulo también se conoce como trombosis venosa profunda (TVP). La TVP se desprende y se mueve hacia los pulmones.

Las causas menos comunes incluyen burbujas de aire, gotas de grasa, líquido amniótico, parásitos o células cancerosas.

Existen factores de riesgo, ¿cuáles son los principales?

  • Antecedentes familiares de trombosis venosa profunda o embolia pulmonar;
  • Problemas del corazón como presión arterial alta, hipertensión y otras afecciones cardiovasculares;
  • Algunos tipos de cáncer, especialmente páncreas, ovarios y pulmones, además de algunas metástasis. Las mujeres con antecedentes de cáncer de mama también pueden desarrollar el problema;
  • Descansar demasiado y acostarse también puede provocar una embolia pulmonar, como después de una cirugía, un ataque cardíaco, una fractura de pierna o cualquier otra enfermedad grave que requiera hospitalización;
  • Quedarse demasiado tiempo también es un factor de riesgo, especialmente durante los días laborales y viajar en avión o automóvil;
  • Humo;
  • La obesidad;
  • Los suplementos de estrógeno, comunes en las píldoras anticonceptivas y la terapia de reemplazo hormonal;
  • El embarazo.

Algunos cuidados de enfermería con pacientes de TEP

  • Mantener la oximetría de pulso y comunicar desaturación;
  • Compruebe FR y regístrese. Notifique si cambia: FR> 24 rpm, angustia intensa, inquietud y uso de los músculos accesorios;
  • Realizar auscultación pulmonar en busca de adventicia y / o campos pulmonares con VM ausente;
  • Mantener la monitorización cardíaca: trazado electrocardiográfico y HR. Informe si la taquicardia / arritmia;
  • Programe la medición de la PA cada 15/15 minutos. Si hay hipotensión o acortamiento de la presión del pulso, comuníquese;
  • Realizar auscultación cardíaca. Registre en el registro médico e informe al médico si aparece un tercer latido cardíaco, galope y / o válvula;
  • Esté atento a los signos de shock: hipotensión, desorientación, taquicardia, piel fría, pegajosa y palidez.

O Que é Embolia Pulmonar?

Embolia Pulmonar

A Embolia Pulmonar, também conhecida como tromboembolismo pulmonar (TEP), é o bloqueio da artéria pulmonar ou de um de seus ramos. Geralmente, ocorre quando um trombo venoso (sangue coagulado de uma veia) se desloca de seu local de formação e viaja, ou emboliza, para o fornecimento sanguíneo arterial de um dos pulmões.

Quais são os Sinais e Sintomas Característicos?

Os sintomas podem incluir falta de ar, dor torácica na inspiração e tosse com sangue.

Sintomas de trombose venosa profunda em membro inferior também podem estar presentes, como hiperemia, calor, inchaço e dor.

Os sinais clínicos incluem baixa saturação de oxigênio sanguíneo, respiração acelerada e taquicardia. Casos graves de embolia pulmonar não tratada podem levar a perda de consciência, instabilidade circulatória e morte súbita.

O que causa uma Embolia?

É mais frequentemente causada pela presença um coágulo de sangue em uma artéria, que bloqueia a passagem de sangue. Esse coágulo é geralmente proveniente de veias perna (principalmente da região da coxa) ou da pélvis (área dos quadris).

Esse tipo de coágulo é chamado também de trombose venosa profunda (TVP). O TVP se solta e se desloca para os pulmões.

Causas menos comuns incluem bolhas de ar, gotículas de gordura, líquido amniótico, parasitas ou células cancerosas.

Há fatores de risco, quais são as principais?

  • Histórico familiar de trombose venosa profunda ou de embolia pulmonar;
  • Problemas cardíacos, como pressão alta, hipertensão e outras condições cardiovasculares;
  • Alguns tipos de câncer, especialmente pâncreas, ovários e no pulmão, além de algumas metástases. Mulheres com histórico de câncer de mama também podem desenvolver o problema;
  • Ficar muito tempo de repouso e deitado pode levar a uma embolia pulmonar também, como após uma cirurgia, um ataque cardíaco, uma fratura na perna ou qualquer outra doença grave que necessitasse de internação hospitalar;
  • Ficar muito tempo sentado também é um fator de risco, especialmente durante jornadas de trabalho e viagens de avião ou automóvel;
  • Fumo;
  • Obesidade;
  • Suplementos de estrogênio, comum em pílulas anticoncepcionais e na terapia de reposição hormonal;
  • Gravidez.

Alguns Cuidados de Enfermagem com pacientes em TEP

  • Manter oximetria de pulso e comunicar desaturação;
  • Verificar FR e registrar. Notificar caso alterações: FR >24 rpm, angustia intensa, inquietação e uso de musculatura acessória;
  • Realizar ausculta pulmonar em busca de adventícios e ou campos pulmonares com MV ausentes;
  • Manter em monitorização cardíaca: traçado eletrocardiográfico e FC. Comunicar se taquicardia/arritmia;
  • Programar aferição de PA a cada 15/15 minutos. Se hipotensão ou encurtamento da pressão de pulso, comunicar;
  • Realizar ausculta cardíaca. Registrar no prontuário e comunicar ao médico se surgimento de 3ª bulha, galope e ou sopro valvar;
  • Estar atento para sinais de choque: hipotensão, desorientação, taquicardia, pele fria, pegajosa e palidez.

Diferencias entre Trombosis y Embolia

Trombosis

La Trombosis y la Embolia parecen, a los ojos del laico, dos nombres diferentes de la misma enfermedad. ¿Hay alguna diferencia entre ellas?

La trombosis es un componente de la sangre que se forma en los vasos sanguíneos. Los componentes, como las plaquetas o la fibrina, generalmente se forman cuando el órgano humano es herido. Los coágulos que impiden que la sangre fluya, eventualmente, resulta en un tejido de formación.

Muchos coágulos se originan en las piernas y, muchas veces causada por inactividad. Estos se denominan trombosis venosa profunda.

Los síntomas de trombosis incluyen acortamiento de la respiración, dolor en el pecho e hinchazón. Sin embargo, hay muchas veces sin síntomas de TVP (trombosis venosa profunda) en todos.

Las personas pueden reducir el riesgo de trombosis, flexionando periódicamente y extendiendo las piernas y haciendo largas caminatas durante períodos de inactividad física. Hay medias de compresión especiales que están diseñados para aumentar el flujo sanguíneo. Los otros métodos recomendados para la prevención de la arteriosclerosis incluyen comer alimentos de bajo colesterol, tales como frutas, vegetales y cereales.

¿Qué es Embolia?

Una Embolia es una pieza de un trombo que se divide a partir de él, y se mueve aún más a través del torrente sanguíneo directamente hacia el cerebro humano o de otro órgano, movimientos émbolos en el torrente sanguíneo hasta alcanzar un estrechamiento en una arteria a través del medio que no pueden pasar.

Cuando se presionan, reducen significativamente el flujo sanguíneo a los tejidos y adyacentes del organismo humano, lo que hace que estos tejidos isquémicos, es decir, causando un estado cuando el oxígeno y la glucosa son insuficientes para satisfacer la demanda metabólica.

Trombosis X Embolia

¿Cuál es la diferencia entre la Trombosis y la Embolia?

Cuando se forma un coágulo de sangre en un vaso sanguíneo es una trombosis. Si, por otro lado, el coágulo se desplaza aún más dentro del cuerpo, eso quiere decir que es una embolia.

El término thromboembolus es a menudo usado en la medicina porque la mayoría de las embolias surgen a partir de trombosis. Algunas trombosis nunca se embellecen, pero son tan peligrosas para el organismo humano como las embolias, y necesitan ser tratadas clínicamente. La mayoría de las embolias son trombosis, aunque en algunos casos, pedazos de chapa, grasa, burbujas de aire, y otra forman material en una embolia. Todos estos también se califican como embolias.

Siga nuestra página de facebook!